#Suzane Von Richthofen está no imaginário popular como a mulher que planejou o assassinato dos próprios pais, em 2002, em um bairro nobre da cidade de São Paulo. Agora, quase 15 anos depois do ocorrido, ela quer dar um novo rumo a sua vida marcada pelo crime cruel: quer virar missionária evangélica. A informação foi divulgada com exclusividade pela revista Veja, no último sábado (24).

Segundo informações da reportagem, Suzane e seu noivo, o empresário Rogério Olberg, se reuniram com o pastor Euclides Vieira, da Igreja do Evangelho Quadrangular, na região de Itapetininga. Os dois pediram orientação ao pastor sobre exercer o ofício de pregador e levar o Evangelho a pessoas que necessitam ouvir a Palavra de Deus: usuários de drogas e moradores de rua, que vivem à margem da sociedade.

Publicidade
Publicidade

O pastor teria perguntado a Suzane se ela está preparada para lidar com a reação popular, como por exemplo, as pessoas irem embora da igreja onde ela está pregando e ouvir xingamentos ao andar pelas ruas. Euclides Vieira disse ter sentido firmeza na resposta de Suzane, que lhe garantiu que fará por Deus e que enfrentaria tudo o que viesse.

A conversa aconteceu no mês passado, quando Suzane deixou o presídio feminino de Tremembé na saidinha de Dias das Mães. A situação gerou polêmica e virou assunto em todos os lugares. Ela ficou fora da cadeia por cinco dias.

Polêmicas

A notícia de que Suzane von Richthofen teria se convertido na cadeia foi divulgada há bastante tempo. Logo depois, porém, ela assumiu um romance com uma mulher e teria se desligado da igreja que frequentava.

Agora, mais uma vez, Suzane teria mudado de vida e está se dedicando a aprender o Evangelho dentro da cadeia e pretende levar esses ensinamentos adiante e evangelizar pessoas em situações de vulnerabilidade.

Publicidade

Nas redes sociais, alguns apoiaram a moça e outros a criticaram.

Trabalho missionário

Embora alguns questionem Suzane, o trabalho missionário é algo bastante sério. Muitas igrejas do Brasil, especialmente as maiores, mantêm missionários em diversos países e também em regiões mais afastadas do Brasil, como sertão nordestino.

Os missionários tem a função de evangelizar, ouvir e participar da vida da comunidade ou grupo de pessoas para onde se destina. Missionários brasileiros que vão ao continente africano, por exemplo, sempre relatam as experiências de pessoas que, em meio a uma pobreza extrema, adoram a Deus de todo o coração. #Missionaria