#Suzane Von Richthofen vive uma vida completamente diferente na atualidade. A loira ficou conhecida por ter mandado matar os próprios pais. Como já cumpriu parte da pena e é considerada uma presa de bom comportamento, Suzane von Richthofen tem direito de sair da cadeia algumas vezes no ano.

Em um ano, desde que saiu pela primeira vez da penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo, já foram pelo menos cinco saídas. Algumas delas, como a que ocorreu no Dia das Mães, são saídas longas. Na ocasião, ela ficou cinco dias longe da prisão. Isso causa polêmica e até irritação por parte da sociedade, já que em 2002 a presa foi parar atrás das graves pela morte dos próprios pais.

Publicidade
Publicidade

Suzane Richthofen se aproxima de pastor evangélico para conseguir o perdão

De acordo com uma reportagem do site da revista Veja, na última vez que Richthofen deixou a prisão, ela encontrou-se com o namorado, o empresário Rogério Olberg, de 38 anos, dentro de um carro. Da prisão, os dois foram para uma igreja evangélica, onde decidiram virar missionários.

Para o processo, o fiel tem que se prontificar a duas coisas. A primeira é confessar os seus maiores pecados, seus maiores segredos. Em seguida, prontificar-se a evitar o pecado e cometer os mesmos erros. Com Suzane não foi diferente e agora ela deve trilhar uma carreira como missionária. O pastor Euclides Vieira, que acolheu a prisioneira mais famosa do país, garante que a moça é de Deus e que o perdão pelos erros dela apenas pode ser dado pelo Todo Poderoso.

Publicidade

Suzane quer virar pregadora e levar a palavra de Deus para drogados

No local, Suzane von Richthofen mostrou interesse ainda em virar uma espécie de pastora. Ela fará pregações em locais que, muitas vezes, a igreja não chega, como presídios e centros de reabilitação para alcoólatras e narcóticos. Ela quer pregar para usuários de drogas e tirá-los dessa vida.

O pastor disse que chegou a questionar se a loira estaria pronta para a sociedade ir contra ela, já que o retrospecto é esse. Euclides Vieira questionou, por exemplo, se ela estava preparada para ouvir xingamentos quando saísse às ruas.

Foi então que Suzane mostrou grande poder de convencimento. “Ela olhou firme nos meus olhos, afirmou que faria aquilo por Deus e enfrentaria o que viesse. Senti bastante firmeza", afirma o pastor Euclides Vieira.

Assim que sair novamente da cadeia, no Dia dos Pais, Richthofen deve dar início à vida missionária. Esse será o primeiro passo de sua aproximação oficial com Deus. Ela ainda pretende estudar e montar uma confecção de roupas. #Crime #Violência