O #tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho, Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos, foram presos em flagrante pelo crime de tortura. O ato aconteceu na noite de sexta-feira, dia 9 de junho. Segundo os dois, ambos viram o jovem roubando uma bicicleta de um deficiente e resolveram fazer justiça com as próprias mãos.

Maycon filmou enquanto seu amigo fazia a tatuagem no jovem de 17 anos. Após a filmagem ser feita, foi compartilhada no 'WhatsApp' e, depois de alguns minutos, o vídeo já havia se espalhado por toda internet.

Assaltante desaparecido

A família do jovem ressaltou que ele está desaparecido desde o dia 31 de maio e eles só reconheceram quando viram as imagens que se espalharam na internet.

Publicidade
Publicidade

A suspeita é de que o tatuador e seu amigo estavam torturando o jovem, pois, nas filmagens, dá para perceber que ele não reage às provocações. Em diversas vezes, o tatuador pergunta para o jovem, o que ele gostaria de tatuar e o adolescente responde "ladrão".

A família do jovem foi até o 3° DP (Distrito Policial) de São Bernardo do Campo. No local, eles apresentaram o vídeo e afirmam o desejo de encontrar o menino. Eles afirmam que o jovem costuma usar substâncias ilícitas e não estaria bem mentalmente, quando cometeu o ato de roubar uma bicicleta.

Abordagem da polícia

Após a família ter passado as informações necessárias, uma equipe de investigadores da polícia foi até o centro da cidade, onde avistaram o tatuador na calçada.

Os dois se defenderam da acusação, dizendo que viram o jovem roubando uma bicicleta e isso levou ao ato de tatuar a mensagem na testa do garoto, Ronildo e Maycon afirmaram que agiram assim como uma forma de punição.

Publicidade

O jovem ainda está sendo procurado pela polícia, pois continua desaparecido até agora, não há alguma informação sobre o mesmo.

Direitos Humanos

A Condepe (responsável pelos Direitos Humanos no estado de São Paulo) se pronunciou sobre o assunto por meio de seu advogado, Ariel de Castro Alves, dizendo que irá acompanhar o desenvolvimento das investigações, já que considera o crime muito grave, pois coagir psicologicamente uma pessoa e agredi-la caracteriza o crime de tortura.

Ainda, o órgão afirmou que se o jovem estava furtando uma bicicleta, o que deveria ter sido feito era o acionamento da polícia e não agir com as próprias mãos, já que é crime qualquer ato de violência contra outra pessoa.

Até agora, não foi provado que o jovem realmente furtou uma bicicleta, porém, pelo que tudo indica e a família afirma, é que o mesmo era usuário de drogas e não estava muito bem mentalmente. Provavelmente, o jovem estava roubando para conseguir comprar mais entorpecentes. #Prisão #Eu sou ladrão