Um ato de justiça com as próprias mãos levou à prisão do #tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e de seu vizinho, Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos. O fato, que tornou-se público e notório na internet, foi considerado pela polícia um ato de tortura. Os dois gravaram um vídeo, no qual o tatuador mostra um trabalho com letras bizarras na #testa de um ladrão que tentava roubar um deficiente, que não tinha uma perna.

Eles intercederam o "nóia" - como é vulgarmente chamado o usuário de drogas, principalmente de crack, que anda sempre em estado de baixa consciência e sob efeito da droga - e decidiram vingar o roubo com as próprias mãos.

Publicidade
Publicidade

O rapaz, menor de idade, teve sua testa tatuada e o vídeo foi espalhado pelo WhatsApp. Logo depois já estava em várias páginas do Facebook, YouTube e outras redes sociais.

Tatuagem no assaltante

Assim que o ladrão de bicicleta foi pego, os homens decidiram tatuar na testa dele a seguinte frase: '#Eu sou ladrão e vacilão'. A raiva dos homens se deu principalmente pelo roubo ter como vítima um deficiente físico que estava impossibilitado de reagir.

Durante o vídeo, o tatuador mostra, passo a passo, as palavras sendo escritas. O rosto do delinquente menor de idade também é mostrado sem tarjas no vídeo. Durante a gravação, o assaltante é provocado por várias vezes e não reage. Primeiro, o vizinho do tatuador pergunta o que ele quer fazer e ele diz que quer uma tatuagem. Logo depois, diz que quer que escreva a palavra 'ladrão'.

Publicidade

Assaltante desaparecido

O delinquente juvenil estava sumido de casa desde o dia 31 de maio., segundo a família que o reconheceu pelas imagens que viralizaram na internet. A família, no anseio de encontrar o rapaz, procurou o 3° DP (Distrito Policial) de São Bernardo do Campo e apresentou o vídeo, pedindo que a polícia ajudasse a encontrá-lo. Segundo a família, ele realmente usa drogas e aparenta não estar mentalmente saudável.

Com as informações que foram repassadas à polícia pela família, uma equipe de investigadores seguiu até a Rua Jurubatuba, no Centro de São Bernardo do Campo, onde localizaram de pronto o tatuador Ronildo na calçada. No local apontado pela família não havia um estúdio de tatuagem e sim uma pensão onde moram os dois homens.

Os dois foram conduzidos até a delegacia e no local afirmaram à delegada Carolina Nascimento Aguiar que o adolescente tentou furtar a bicicleta de um deficiente e aquilo causou raiva nos dois que decidiram puni-lo, já que a família não o fizera.

Direitos Humanos

A Condepe (responsável pelos Direitos Humanos no estado de São Paulo) se pronunciou sobre o assunto . O advogado Ariel de Castro Alves disse que um crime não justifica o outro e acompanhará de perto o caso.