Optar pela #traição é colocar a vida em risco. A reação de uma pessoa traída é uma incógnita e, na maioria das vezes, descamba para a violência. Infelizmente, um caso extraconjugal terminou em tragédia e um fato chamou a atenção: os três envolvidos são policiais militares que trabalhavam juntos no mesmo batalhão.

De acordo com o portal de notícias R7, o PM David flagrou sua esposa Bruna, que também é #policial militar, com o colega de profissão Marafian, na noite de quarta-feira (31), em um motel da cidade de Joinville, localizada em Santa Catarina. Infelizmente, ao presenciar a traição, David em um ato impensado, acabou atirando contra o Marafian, que morreu no local.

Publicidade
Publicidade

Casos extraconjugais são até bastante comuns, mas neste o triângulo amoroso envolvia três policiais militares que trabalhavam lado a lado no Batalhão da PM em Guaruva.

Traição e morte

Os PMs David e Bruna moram na cidade de Curitiba, no Paraná, mas trabalhavam a aproximadamente 100 km de distância, em Guaruva (SC). Bruna começou a trabalhar na cidade há quatro anos, onde conheceu Marafian. A princípio, ele se tornaram bons amigos, mas logo engatilharam um romance. David pediu transferência para o mesmo batalhão para trabalhar ao lado da esposa, mas o relacionamento deles já não era mais o mesmo.

Segundo as informações preliminares, Bruna e David estavam juntos há 17 anos, mas eles tiveram uma briga séria há pouco tempo e estavam em processo de separação, mas ainda viviam sob o mesmo teto.

Publicidade

De acordo com os colegas policiais, os problemas pessoais não interferiam na vida profissional do casal e ninguém da corporação sabia do caso entre Bruna e Marafian.

Desconfiado, David começou a prestar mais atenção nas atitudes da esposa, até que na noite de quarta-feira ele resolveu segui-la e acabou por ver Bruna entrando no motel, localizado na Rua dos Holandeses, s/nº, no bairro Pirabeiraba, em Joinville.

O policial conseguiu entrar no motel e foi até o quarto onde a esposa e o soldado estavam. Ele bateu na porta, mas Bruna se recusou a abri-la. David arrombou a porta do quarto e atirou na cabeça de Marafian, que morreu no local.

David foi preso em flagrante. Marafian era casado e tinha dois filhos. A Polícia Militar abriu inquérito para investigar o caso.

Colegas de farda

David, Bruna e Marafian trabalhavam na parte operacional, nas viaturas, onde atendiam ocorrências pela cidade. Os três policiais militares tinham condutas exemplares.

David e Marafian atuavam juntos e foram responsáveis por quase metade das últimas prisões realizadas pelo Batalhão da PM em Guaruva. #Policia Militar