Publicidade
Publicidade

Recentemente noticiamos que uma adolescente de 13 anos estava sofrendo estupro coletivo há mais de dois meses, na cidade de Bom Jesus do Itabapoana, no Rio de Janeiro. Na ocasião, a vítima estava sendo estuprada por 15 adolescentes com idade de 14 a 16 anos.

Segundo a polícia, os abusos começaram após um dos envolvidos no #Crime ter flagrado a jovem mantendo relações sexuais com o namorado na escola onde ela estuda. Desde então, ela passou a ser chantageada para também ter sexo com os suspeitos. Caso ao contrário, eles iriam relatar o ocorrido para o pai da menina, que ela estava tendo relações sexuais [VIDEO]com o namorado dentro da escola.

Publicidade

Todos os evolvidos já foram ouvidos pela polícia e os suspeitos vão responder por estupro de vulnerável. Outro caso assustador de estupro de vulnerável aconteceu com uma garotinha de apenas 10 anos, que era estuprada pelos próprios familiares, que, em vez de proteger de todo o mal, foram os próprios agressores.

O padrasto e o irmão da criança foram presos e responderam pelos seus atos atrás das grades. A polícia da cidade de Campo Alegre, agreste de Alagoas, prendeu na noite de quarta-feira (26) três suspeitos de terem abusado sexualmente de uma garotinha de apenas 10 anos.

O que mais surpreendeu a polícia é, que ambos os envolvidos são os próprios parentes [VIDEO] da menina. Segundo o delegado Alexandre César, que está à frente das investigações, foram presos a mãe da vítima, que tem 38 anos, o irmão da menina de 22 anos, e o esposo da mulher, de 48 anos, que é padrasto da garotinha.

Publicidade

De acordo com informações divulgadas pela polícia, as denúncias foram feitas pelo Conselho Tutelar da cidade já há algum tempo. Desde então, começaram os trabalhos de investigações. De acordo com o delegado, a criança prestou depoimento e contou com riqueza os detalhes sombrios dos estupros. Segundo a vítima, ela relatou que era estuprada pelos acusados [VIDEO], enquanto a mãe consentia.

O que mais causou espanto entre os policiais foi quando a menina disse que a mãe tampava a sua boca para que ela não gritasse quando ela estava sendo abusada. Exames feitos na vítima comprovaram que ela foi vítima de violência sexual.

A vítima foi encaminhada para a Casa Lar, que fica na cidade. De acordo com a polícia, o padrasto da menina já havia sido preso anteriormente pelo mesmo crime. Os dois homens foram levados para a cadeia de Campo Alegre. Já a mãe da vítima foi levada para o presídio feminino da cidade de Santa Luzia, em Maceió. O caso está sendo investigado. #Investigação Criminal #Casos de polícia