O Baleia Azul é um jogo que tem dado muita dor de cabeça nos pais. Através dele, jovens no mundo inteiro estão cometendo suicídio. Infelizmente, isso acabou sendo "exportado" aqui para o Brasil. Muitos casos do Baleia Azul são investigados, mas nessa semana, o primeiro curador do jogo no país foi preso. O caso aconteceu na cidade de Belém, no estado do Pará, como mostra uma reportagem do 'Cidade Alerta', na Record TV. Quem descobriu a identidade do homem foi a mãe de uma menina, que estava sendo ameaçada pelo criminoso. Esperta, a mãe foi descobrindo os segredos mais sórdidos do bandido e o que ela revelou tem assustado muitas famílias, mas também servindo de alerta.

Publicidade
Publicidade

Polícia prende moderador do jogo Baleia Azul no Pará

A mãe, que não teve o nome identificado, notou que sua filha estava com machucados pelo corpo. Ela então lembrou dos alertas envolvendo o jogo do '#Baleia Azul'. Ao questionar a herdeira, a mulher não teve qualquer resposta, mas mesmo assim foi além. Ela foi entrando em redes sociais da filha e descobriu o que o curador do 'Baleia Azul' dizia: "Se entrar no jogo, não vai poder sair mais", diz ele aliciando a menor de idade, que mandou fotos dos seus ferimentos. O caso está sendo tratado na novela 'A Força do Querer', assinada por Glória Perez, na TV Globo.

Quem é o jovem por trás do 'Baleia Azul' no Brasil?

Jardeson Amorim, de 19 anos, seria o homem por trás das mensagens envolvendo o 'Baleia Azul'. A polícia descobriu o segredo dele e o identificou.

Publicidade

Jardeson, que é estudante, usava uma identidade falsa para se comunicar com outros jovens. Uma das provas assustadoras mostra ele questionando uma vítima por que ela queria participar do jogo do suicídio. A vítima responde que ninguém a amava, nem mesmo sua mãe. O homem morava em um casa simples, que sequer era revestida de cimento. O contato acontecia por celular. As vítimas não seriam apenas brasileiras, mas até internacionais. Uma menina portuguesa teria se cortado ao falar com o brasileiro.

Previna-se contra o suicídio!

Questionado pela polícia, Jardeson chegou a negar o crime, mas se confundiu. Ele diz que não sabe com quantas pessoas teria "jogado" o 'Baleia Azul'. Antes da mãe procurar a polícia, ela chegou a ser alertada por colegas da escola. Ela disse que se sentiu culpada por demorar a prestar a atenção na filha.

Serviço: No Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV) ajuda pessoas com pensamentos tristes e suicidas. Para entrar em contato, basta ligar - gratuitamente - de qualquer lugar do Brasil para o 141. O atendimento também pode ser feito via internet, através do site da instituição.