Arthur, este é o nome do bebê que mesmo antes de nascer, foi mais uma vítima de #bala perdida no #Rio de Janeiro. A história do pequeno Arthur e de seus pais comoveu o Brasil e causou indignação diante da barbárie na qual a sociedade brasileira está mergulhada. Nesta sexta-feira (8), a equipe médica que cuida de Arthur, deu uma entrevista coletiva para falar sobre o real quadro de saúde do pequeno campeão. Saiba mais.

De acordo com o portal de notícias online G1, os médicos afirmaram em entrevista coletiva, que a evolução do quadro de saúde de Arthur até o momento é satisfatório. Chamado pela equipe médica carinhosamente de 'guerreiro e campeão', o bebê continua internado no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, região metropolitana do Rio de Janeiro, em estado grave, porém estável.

Publicidade
Publicidade

Paraplégico

Arthur foi atingido por uma bala perdida ainda na barriga de sua mãe, Claudinéia dos Santos Melo, na sexta-feira (30). A mulher foi socorrida e levada para o Hospital Moacyr do Carmo, em Duque de Caxias, onde foi feita uma cesariana de emergência. Assim que Arthur nasceu, os médicos constataram que o bebê também havia sido atingido pelo tiro que atravessou o quadril da mãe, atingiu os pulmões e a orelha do menino, provocou um trauma no crânio e uma lesão grave na coluna, causando a paraplegia na criança.

Na entrevista, a equipe médica destacou que Arthur passou por um procedimento conhecido como laminectomia que tem a finalidade de aliviar a compressão na coluna vertebral. O médico neurocirurgião Vinicius Mansur Zogbi, afirmou que através de exames realizados no bebê, foi observado que a medula não sofreu rompimento, isto mostra que apenas os movimentos dos membros inferiores foram comprometidos.

Publicidade

Com a descompressão das vertebras, existe a possibilidade da medula se expandir e assim Arthur recuperaria os movimentos da perna, mas a equipe médica não pode afirmar que isso ocorrerá, neste momento, o menino continua apresentando o quadro de paraplegia.

Campeão e guerreiro

O médico Eduardo de Macedo Soares, coordenador médico da UTI neonatal, relatou que apesar do forte trauma sofrido, Arthur vem lutando pela vida. Só por ter sobrevivido a um tiro ele já é considerado por toda a equipe um grande campeão, e um guerreiro exemplar. Contudo, mesmo assim a Arthur ainda se encontra em um estado muito delicado.

Os médicos afirmaram que não existe a possibilidade de mensurar a evolução de Arthur, se a paraplegia vai ser revertida, que neste momento o que pode e está sendo feito é dar suporte para manter o menino vivo, já que ele respira por ventilação mecânica.

Visita dos pais

A mãe de Arthur recebeu alta do Hospital Moacir do Carmo, nesta quinta-feira (7), e relatou que seu maior desejo era poder tocar o filho. Claudinéia e o pai do Arthur já estiveram com filho. #Violência