Um empresário dono de uma loja de confecção resolveu ceder uma vaga de emprego para a presidiaria #Suzane Richthofen como costureira. Suzane solicitou #a justiça o regime aberto para que ela possa trabalhar normalmente na confecção e cumprir o resto da sua pena em liberdade. O empresário disse ao G1 que por conhecer a família do namorado de Suzane resolveu lhe ceder uma vaga. Vale ressaltar que ela foi condenada a quase 40 anos de prisão em virtude da #morte dos pais.

A empresa fica localizada em Angatuba, no estado de São Paulo. De acordo com o dono, os seus 70 empregados ganham pouco mais de R$ 1 mil e cumprem carga horária de 44 horas semanais.

Publicidade
Publicidade

"Conheço apenas a família do seu namorado, não conheço ela. Mas ele veio aqui junto com o advogado dela e me pediu uma oportunidade. Nunca fechamos a porta para ninguém, mesmo sabendo o que ela fez lá fora. Eu não quero lembra o que ela cometeu, mas espero que ela corresponda aqui no trabalho", relata o empresário.

O dono da confecção afirmou que já deu outras oportunidades para ex-presidiarios. "Mais de cincos pessoas com problemas policiais já trabalharam para mim. Acho que pode ajudar na reabilitação", diz Daniel Carneiro da Silva, empresário.

De acordo com ele, Suzane aprendeu a costurar e irá trabalhar na confecção de jeans, caso ela consiga o regime aberto. "Caso ela saia e tiver uma vaga ela entra mas, caso contrário ela ficará esperando. Sei que ela aprendeu a costurar na penitenciária, e não só porque ela é presidiaria que não posso dar uma oportunidade.

Publicidade

Ela nada fez contra minha família ou a mim. Por isso não vejo problema algum em contratá-la", ressalta Daniel.

Daniel afirma que ela não terá nenhum privilégio. Eu não quero a fama dela. A vaga para ela vai ficar reservada de acordo com a necessidade da empresa, mas para ele não tem nenhum motivo para não contratar Suzane.

Ainda não foi estipulado quando será o julgamento do pedido de Suzane von Richthofen, que foi condenada a 39 anos de reclusão. O pedido foi feito pelo os advogados de defesa da moça. Atualmente ela cumpre pena em Tremembé, São Paulo.

A defesa incluiu no documento que Suzane, caso obtenha a progressão, terá uma vaga para trabalhar como costureira na confecção de Angatuba (SP). Mesma cidade onde vive seu atual namorado, e mostrou a oferta de emprego através de um ofício, que deve permanecer aberto aguardando a decisão da justiça.

Você acha que Suzane Richthofen merece passar para o regime aberto e cumprir em liberdade o restante da sua pena? Comente.