Uma notícia arrasadora se seguiu na tarde desta sexta-feira (28). Abalados pela perda da filha mais nova, Bruna, o subtenente Márcio Augusto de Brito Borges, de 45 anos, e sua esposa, a ex-sargento Claudineia da Silva Borges, de 39 anos, foram encontrados mortos na garagem da casa onde residiam, na cidade de Rio Branco, no Acre.

Nesta quarta-feira (26), a filha mais nova do casal teria se enforcado durante uma transmissão ao vivo pelo aplicativo do #Instagram. Com apenas 19 anos, Bruna deixou mensagens tristes [VIDEO]poucos momentos antes da tragédia no seu #Facebook, nas quais dizia estar abandonada e humilhada e conta sobre não aguentar mais essa situação.

Publicidade
Publicidade

A moça ainda questiona: “Já viram alguém morrer ao vivo?”.

Os pais, inconformados com a perda da filha, tiraram a própria vida. Segundo o coronel Wellington Valone Barbosa, há indícios que cada um teria tirado a própria vida. Eles foram encontrados enforcados na garagem da casa, pela filha mais velha. Cartas de despedida foram deixadas pelo casal e estão com a Polícia Civil, o conteúdo não foi divulgado.

A família da ex-sargento Claudineia já foi informada do ocorrido e está a caminho da capital acreana. O Exército disse que conseguiu localizar um irmão do subtenente Borges e o corpo deve ser transladado para Belém, no Pará.

O tabu

O psiquiatra Neury José Botega, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), comenta “Como o #Suicídio é um assunto tabu, podemos ficar com a impressão de que o problema não existe em grande magnitude.

Publicidade

Mas isso não é verdade. Diariamente, segundo dados oficiais, 32 pessoas põem fim à vida. E podemos supor que o número real de suicídios seja, pelo menos, 20% maior do que isso”, diz ele.

Entre 1980 e 2012, as taxas de suicídio cresceram 62,5% na população em geral. Na faixa etária dos 15 aos 29 anos, a média aumenta em ritmo mais rápido do que em outros fatores de mortalidade.

Sinais de depressão

Alguns comportamentos podem ser notados e são um alerta como falar sobre querer morrer, ficar isolado, agitação, automutilação, choro excessivo, inquietação, irritabilidade ou isolamento social procurar formas de se matar, insônia ou dormir por tempo demais e abuso de álcool ou drogas a depressão leva a pensamentos suicidas.

Por isso, é de extrema importância não deixar a pessoa sozinha e levar a pessoa para uma ajuda especializada. Depressão é uma doença, um transtorno emocional e não deve ser tratado como banalidade. Evite “se rezar passa”, “está querendo chamar atenção”, “quem quer se matar, se mata mesmo”, uma pessoa que precisa de ajuda deve ser levada a sério.

Telefones e sites de ajuda

Centro de Valorização da Vida (CVV): 141

É possível entrar em contato e receber apoio emocional do CVV via internet, a partir de e-mail, chat e Skype 24 horas por dia. Existem grupos de apoio no Facebook, não só para a pessoa com depressão mais para amigos e familiares que não sabem que atitude tomar pode entrar em contato e se informar.