O sonho de Kéllory Medrado Marques, hoje com 19 anos, era ter o seu pai ao seu lado. Ela não imaginava, no entanto, que isso fosse acabar virando um dos maiores infernos de sua vida. Sua mãe e o pai se reconciliaram quando ela tinha 8 anos de idade. A partir de então, o homem, que não teve o nome identificado, acabou estuprando a garota todos os dias, em um período de quase dez anos. Durante várias vezes, Kéllory disse que tentou contar a situação para a família, mas que ninguém dava créditos para ela. Após os sucessivos abusos, Marques tomou coragem e denunciou o pai à polícia. Em um comovente relato publicado no Facebook, a adolescente contou como tudo acontecia.

Publicidade
Publicidade

Menina que tinha o sonho de conhecer o pai acaba sendo estuprada por ele milhares de vezes no Mato Grosso

Foram dez anos de segredos, até que a jovem internauta contasse tudo em sua rede social. A publicação escrita por ela teve dezenas de milhares de curtidas e mais milhares de comentários. Muitas pessoas elogiaram a coragem que ela tinha em estar falando disso agora. Kéllory então explicou que sente raiva por ter demorado tanto para ter coragem de denunciar o pai. De acordo com informações do portal de notícias G1, que conversou com representantes da Polícia Civil do estado de Mato Grosso, onde o #Crime ocorreu, a entidade não poderia dar mais detalhes sobre a apuração, pois ela estava sob segredo de justiça. A moça estuprada pelo próprio pai diz que sempre teve o sonho de viver com o pai e que não imaginava que isso fosse se tornar um grande pesadelo.

Publicidade

'Inferno de dor', diz adolescente abusada na própria casa

A jovem conta que tinha um "inferno de dor", ao saber que o seu próprio pai era capaz de realizar as maiores atrocidades em sua vida. No primeiro abuso, o pai obrigou que a garota deitasse na cama e avisou que os dois, a partir de então, iriam brincar. No seu post que chocou muita gente, Kéllory contou que fechou os olhos e que só conseguia chorar. Dia após dia, ela começou a receber os abusos, que ela diz ter tanta vergonha. O pai, na tentativa de convencer a filha a manter o silêncio, pagava uma quantia em dinheiro a ela após todos os abusos, ou então deixava Kéllory fazer coisas que não eram permitidas para ela, como ir brincar.

Aos 12 anos, jovem contou do abuso para a mãe, que nada fez

Em outra parte do extenso depoimento da jovem, ela disse que, após completar 12 anos, tomou coragem e contou o que acontecia para sua mãe. No entanto, para sua surpresa, a mulher nada fez para salvá-la. #Estupro