Por conta de cuidados bastante avançados, especialmente na vacinação dos animais, a raiva humana é raríssima no Brasil, mas acontece. A doença é assustadora. A pessoa pode se transformar em um quase zumbi e, segundo dados científicos, a mortalidade beira os 100%.

Mais rara do que a própria doença foram as pessoas que conseguiram sobreviver à raiva. Todas elas, procuraram centros de saúde imediatamente após serem mordidas por um animal. O novo caso de raiva humana que terminou com morte no Brasil acontece na cidade de Recife (PE) e elevou o alerta da população do Nordeste.

Após 19 anos, mulher morre de raiva humana no Recife: 'Doença provoca sonhos tenebrosos'

De acordo com informações do site da revista Veja, em reportagem publicada nesta terça-feira (4), havia 19 anos que ninguém morria de raiva na cidade de Recife.

Publicidade
Publicidade

A informação foi confirmada pelo gerente de controle de zoonoses da região, Jurandir Almeira.

A vítima é Adriana Vicente da Silva. Ela tinha 36 anos e foi mordida por um gato no mês de abril. A mulher já havia feito o teste para saber se tinha a raiva humana, mas morreu antes mesmo dos médicos saberem o resultado.

Um dos sintomas clássicos da doença são os sonhos tenebrosos. A pessoa tem sonhos sádicos, aterrorizantes e, muitas vezes, não consegue dormir.

Raiva humana registrada no Brasil é de origem silvestre

O exame concluiu que o vírus encontrado em Adriana seria de um morcego que se alimenta de sangue, ou seja, o vírus tem origem silvestre. O animal teria mordido o gato que, em seguida, atacou Adriana, que não suportou o vírus e morreu. No passado, a doença matava com uma constância muito maior.

Publicidade

Os sintomas dela eram tão assustadores que muitos pesquisadores começaram a desenvolver vacinas para evitar que a doença seja contraída. É por isso que existem constantes campanhas de vacinação com animais domésticos. No entanto, a vítima da raiva humana morava em uma região próxima a uma área de vegetação. Mesmo o caso sendo raríssimo, ele aconteceu.

Autoridades fazem força-tarefa na região para evitar novos casos

Antes mesmo de ter o resultado nas mãos, as autoridades decidiram fazer uma espécie de vedação em um raio de um quilômetro de onde a vítima foi mordida. Agentes foram de casa em casa realizar uma nova vacinação de todos os animais recolhidos.

Casas abandonadas também foram periciadas e também morcegos recolhidos. Em um raio de 5 quilômetros, quiosques foram montados para estimular a vacinação voluntária. #RaivaHumana #Crime #Investigação Criminal