Tristeza e indignação. Essas são as palavras que mais definem os sentimentos dos amigos e familiares de Gissele Oliveira, de 34 anos, morta à facadas pelo namorado, na última semana. O #crime passional entristeceu os moradores da pacata cidade de Patrocínio do Muriaé, na Zona da Mata mineira, que tem pouco menos de 6 mil habitantes. O crime soma-se aos milhares de casos de violência doméstica, que têm ceifado vítimas de mulheres em todo o país.

Segundo informações da polícia, o crime teria ocorrido na casa da vítima, após uma discussão entre o casal. O suspeito, identificado como Robson Wodison da Silva, de 49 anos, foi preso na residência dele, após ter fugido da casa da namorada.

Publicidade
Publicidade

Robson tinha um ferimento no braço esquerdo, o que pode comprovar a suspeita do envolvimento no crime.

De acordo com uma rádio local, o corpo de Gissele foi encontrado pela filha dela, de 15 anos. A adolescente viu a mãe caída no chão e chamou a polícia, mas, quando os policiais chegaram ao local, constataram que ela já estava morta. As investigações apontam que a vítima teria sido atingida por pelo menos 10 golpes de faca.

Ainda conforme informações repassadas pela polícia, o namorado da vítima recebeu atendimento médico e, logo após, foi encaminhado à Polícia Civil, que investiga o caso. A arma branca utilizada por Robson foi apreendida.

Amigos e familiares não se conformam com morte trágica

Nas redes sociais, muitos amigos e familiares de Gissele demonstraram que estão inconformados com o trágico assassinato.

Publicidade

"Vá em paz, prima Gissele Oliveira. Que Nossa Senhora te receba de braços abertos e te cubra com seu manto sagrado, pois vc era uma pessoa de tão bom coração e prestativa, e não merecia isso. Saudades", postou Eludiane de Oliveira, prima da vítima, na rede social Facebook.

A postagem de Eludiane teve centenas de curtidas e inúmeros comentários, muitos deles ressaltando a frieza do assassino, que matou a vítima a sangue frio. "Muita covardia! Gente, cadê o amor das pessoas? Peço a Deus que venha consolar toda a família! Porque esquecer, nunca", escreveu um internauta.

"Muito triste, a Gi era uma pessoa tão batalhadora; meus sentimentos a toda família. Que Deus possa dar a ela o descanso eterno e, à família, o conforto", comentou outro seguidor.

Uma outra usuária do Facebook e moradora de Patrocínio de Muriaé aproveitou o espaço na rede social para pedir que a justiça seja feita:

"Tem de haver um basta na violência contra a mulher! Fico indignada como ainda existe machismo em pleno século.

Publicidade

Que ele fique pelo menos 30 anos recluso", escreveu uma outra usuária da rede social.

Violência contra a mulher

O crime praticado contra Gissele reacende as discussões sobre a violência contra a mulher que, mesmo diante de iniciativas como a Lei Maria da Penha, continua estampando as principais notícias nos veículos de comunicação.

No mesmo dia em que Gissele foi morta, uma jovem de 18 anos sofreu homicídio na Zona da Mata mineira. O assassinato de Leila Lima aconteceu nos mesmos moldes do de Gissele. A moça foi morta com golpes de faca. No entanto, o crime teria sido cometido por uma adolescente de 16 anos, em uma festa julina. A motivação do crime também seria passional, segundo apuram as investigações. #Minas Gerais #Investigação Criminal