Tâmela Ribeiro é uma dona-de-casa da cidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no estado do Paraná. Ela andava pelas ruas da região, quando ouviu o que achou ser um choro de um cachorro. "Resolvi olhar", disse ela em uma ampla entrevista dada com destaque ao portal de notícias G1 neste sábado (22). O que Tâmela não esperava é que fosse encontrar em um terreno baldio, em volta de um monte de lixo, bebês recém-nascidos. [VIDEO] Não um, mas um achado em dose dupla. No local, estavam gêmeas recém nascidas. Duas meninas abandonadas.

'Achei que era um cachorro', diz mulher que encontrou gêmeas abandonadas em Curitiba

Após o achado, Tâmela teve que ser rápida.

Publicidade
Publicidade

Ela entrou em contato com as autoridades e pediu ajuda. As crianças estão internadas em um hospital público da cidade de Pinhais, o Hospital Municipal Nossa Senhora da Luz. De acordo com o boletim médico, as crianças passam bem, apesar de todo o risco que correram.

Polícia investiga abandono de bebês em terreno baldio do Paraná

Investigadores da Polícia Civil do estado do Paraná já apuram as circunstâncias para o abandono das crianças. Agora o objetivo da polícia é saber quem é a mãe das crianças, ou os responsáveis por ela. Após chegarem no hospital municipal de Pinhais, as gêmeas passaram por uma avaliação médica. Uma estaria com 2,75 Kg. Já a outra, bem mais magra, tinha apenas 1,7 Kg.

Parto foi feito em casa e crianças ainda estavam com cordão umbilical

Em entrevista ao G1, o diretor do hospital, identificado como o médico Airton Surdi, disse que a impressão que fica é que o parto das gêmeas teria acontecido em casa.

Publicidade

Isso porque as recém-nascidas ainda estavam com o cordão umbilical quando foram encontradas pela dona-de-casa Tâmela.

Mulher diz que não vai mais esquecer cena das crianças abandonadas

Tâmela revelou que estava de mudança e que, por isso, estava passando no local quando tudo aconteceu. Foi ela quem acionou a polícia, assim que achou no terreno baldio as bebês. A dona-de-casa lembra que as crianças estavam protegidas apenas por um cobertor. Em entrevista, a salvadora das crianças diz que a situação mudou a vida dela e ficará marcada para sempre, pois não tem explicação.

Meninas são batizadas em hospital

Segundo Tâmela, tudo fica ainda mais emocionante, pois ela tem filho e sabe que só a sensação de perder uma das crianças é muito dolorosa. A dona-de-casa diz que o episódio ficará como uma espécie de aprendizado para sua vida. Por enquanto, as duas meninas tem nomes dados pelas enfermeiras do hospital. Uma recebeu o nome de Eloá, que significa 'Deus'. A segunda menina recebeu o nome de 'Heloísa', que teria o significado de "guerreira". #Crime #Investigação Criminal