Publicidade
Publicidade

Um caso criminal está chocando a cidade de Arceburgo, em Minas Gerais. Isso porque agentes da lei investigam o estupro de uma menina de 14 anos, que não teve o nome identificado. Ela foi abusada sexualmente por um padre da região. Um vídeo mostra a ação e nele o pároco estimula que a menor o beije. O vídeo viralizou nas redes sociais e mostra o líder da igreja católica beijando e fazendo carícias na criança. Pela legislação brasileira, não é necessário a penetração para que o sexo forçado seja considerado estupro. O Monsenhor manda a menina botar a língua em sua boca. O religioso foi procurado pelo G1, após o caso viralizar, mas não quis comentar as acusações contra ele.

Publicidade

Vídeo mostra padre praticando abuso contra menina de 14 anos em Minas Gerais

De acordo com a polícia militar, a família da menina denunciou o Monsenhor na quarta-feira (26). Ele já estaria abusando sexualmente da garota há vários meses e, a fim de comprovar o #Crime, uma pessoa decidiu filmar o que acontecia dentro da igreja. Quem filmou as cenas não teve o nome revelado. As cenas acabaram sendo compartilhadas nas redes sociais. Os fiéis ficaram perplexos com tudo o que assistiram. A garota abusada atua como coroinha da igreja onde o ato foi gravado.

Menina inicialmente negou estupro por padre em Minas Gerais, mas depois contou como abusos ocorriam

A estudante ficou com tanto medo do que poderia acontecer que, inicialmente, negou o fato de que tivesse sido vítima de um abuso.

Publicidade

No entanto, ao conversar com sua mãe, ela detalhou o que aconteceu. O primeiro estupro, segundo a coroinha, ocorreu logo após a missa. O padre tirava a blusa da menina e pedia que ela o beijasse insistidas vezes. O vídeo que circula na internet, inclusive, mostra o pároco em cima da adolescente, que está parcialmente despida. Ele dá beijos na boca da menor de idade e passa a mão em seu corpo.

Polícia investiga estupro e igreja católica afasta padre que beija coroinha em vídeo

De acordo com o G1, o vídeo agora está sob a análise da polícia. Os investigadores estão apurando as imagens, mas já avisaram que o conteúdo virou um inquérito e, portanto, o padre será indiciado pelo caso. O conselho tutelar também apura a situação, mas confessou, em contato ao G1, que até o momento não teve acesso ao depoimento da menor de idade. A diocese de Guaxupé, em Minas Gerais, onde o crime ocorreu, alega que o padre acusado está em um retiro e que, por isso, ele não poderia falar. Ele foi afastado das missas. #Investigação Criminal