O acesso aos livros sempre esteve restrito a uma determinada parcela da população, especialmente em decorrência dos altos custos dos títulos impressos. Mas, você já imaginou encontrar um livro novinho, esquecido, e poder levá-lo para casa sem culpa? Amanhã isso será possível, pelo menos em Salvador.

Esqueça um Livro

O conceito “BookCrossing” ou “Esqueça um Livro” surgiu nos Estados Unidos em 2001, e não demorou a se propagar por todo o mundo. A ideia é um composto de urbanidade e literatura, causando um verdadeiro efeito em cadeia em prol do acesso à leitura e está centrada na disseminação da #Cultura e do conhecimento através de uma proposta bem inusitada: livros são deixados, ou melhor, esquecidos propositadamente em diversos locais públicos para ser encontrados por leitores em potencial.

Publicidade
Publicidade

No Brasil, a iniciativa teve início no Estado de São Paulo em 2013, e foi trazida pelo jornalista Felipe Brandão, que teve a oportunidade de vivenciar o projeto durante sua estadia nos Estados Unidos. Tudo começou com uma página no Facebook, que convidava pessoas de todo o Brasil a esquecer seus livros antigos pelas cidades para que fossem encontrados por novos donos. A campanha fez tanto sucesso que atualmente a página no Facebook conta com mais de 40 mil curtidas e a ideia passou a ser veiculada em todo o território nacional, sendo realizada no dia Nacional do Escritor, em 25 de julho.

Salvador integra a campanha nacional 'Esqueça um Livro'

Com o objetivo de estimular a leitura e a cultura entre a comunidade local, no Dia Nacional do Escritor, a capital baiana passa a integrar a campanha nacional “Esqueça um Livro e Espalhe Conhecimento”.

Publicidade

Amanhã, através da Fundação Gregório de Mattos - FGM, em parceria com o Projeto Livres Livros, o SESC, a Santa Casa de Misericórdia, o Projeto Dom Quixote (UFBA), a Editora Quarteto e a Rede de Bibliotecas Comunitárias de Salvador e a Fundação Cidade-Mãe, diversos livros serão distribuídos para que sejam encontrados e lidos por seus novos donos.

Um bilhetinho irá informar que aquele livro agora pertence a quem o encontrou. A mobilização conta com a participação de agentes da FGM e instituições parceiras da campanha, que irão espalhar livros “esquecidos” pela Estação da Lapa e no Parque da Cidade. Estima-se que mais de 300 títulos serão deixados em bancos de praça e de ônibus coletivos. A mobilização será realizada durante o período da manhã, entre às 9h e 11h, e durante à tarde, entre 14h e 17h. #Lazer #2017