Você provavelmente se lembra de um caso de #Estupro coletivo a uma adolescente de 16 anos ocorrido no ano passado. Ela foi estuprada por cerca de 30 homens e teve seu vídeo exposto várias vezes nas redes sociais pelos próprios estupradores. O caso aconteceu no Rio de Janeiro e chocou o Brasil devido a brutalidade.

Infelizmente, o fato não parou de acontecer e mais vítimas foram registradas no país já esse ano. Um dos detalhes que mais choca é que grande parte dos abusos é executado por conhecidos da vítima, segundo informações do site "Em", publicadas no mês passado.

Na última segunda-feira (17), uma #Mulher de 48 anos de idade foi surpreendida por 4 suspeitos dentro de sua residência, em Presidente Epitácio, São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Os rapazes entraram na casa e levaram a vítima contra sua vontade até os fundos da casa de um dos suspeitos. Ela foi abusada sexualmente e deixada presa dentro da edícula. De acordo com informações do delegada que está cuidando do caso, os criminosos puseram um pedaço de madeira na porta para impedir que a mulher saísse do local. Felizmente a vítima conseguiu abrir e pedir ajuda.

Ainda segundo o delegado, a mulher estava embrigada e não conseguiu dar muitos informações por não lembrar do que tinha acontecido. Ela foi levada para o hospital com uma lesão provocada pelos criminosos. A polícia encontrou na casa preservativos, provavelmente usados no ato. Os suspeitos foram localizados pela polícia e levados para prestar depoimentos, mas negaram o crime.

Um dos acusados tem 20 anos e os outros têm 13, 15 e 17 anos.

Publicidade

Eles são vizinhos da vítima. Os garotos menores de idade foram levados para a #cadeia de Adamantina e aguardam ser transferidos para a Fundação Casa. O homem de 20 anos foi encaminhado para a cadeia de Andradina e vai responder ao processo por estupro e cárcere privado.

Segundo dados publicados em abril deste ano pelo site G1, só em São Paulo foi registrado aumento de 15,7% dos casos de abuso sexual em comparação ao ano passado. Esses dados causam medo em moradores de todo o país, que se sentem inseguros com a possibilidade de estupro a qualquer momento.

Dados revelados pelo site BBC Brasil em abril de 2017 indicam que 70 das vítimas de estupro são crianças e adolescentes, por serem mais vulneráveis. Para pessoas que desejam denunciar casos de abusos, existe o Disque 100, o serviço de proteção a crianças e adolescentes destinado a denúncias de abuso sexual. A ligação é gratuita e anônima, garantindo o sigilo de sua identidade.