#Suzane Von Richthofen, 15 anos após o #assassinato dos pais Manfred e Marísia, entra mais uma vez na mídia, o assunto do momento é a conversão religiosa de Suzane. O pastor Euclydes, responsável pela "reforma" da moça, disse ao portal "UOL" que acredita na recuperação da jovem.

Segundo ele, Suzane se mostrou "outra pessoa", mais responsável após se "batizar" e se converter a "Assembleia de Deus" na prisão. O pastor informou ainda que Suzane seria missionária, dando testemunhos e anunciando o evangelho para pessoas que se encontram na mesma situação que a dela.

Para se tornar uma missionária credenciada, Suzane precisará fazer um curso teológico no "Instituto Quadrangular" e depois passará por uma série de entrevistas a fim de atestar sua recuperação "total".

Publicidade
Publicidade

O processo levaria três anos para ser concluído, por esse motivo o pastor sugeriu que Suzane comece a cursar por correspondência.

Ele, no entanto, relata que recebe muitas críticas das pessoas que alegam que o mesmo esteja defendendo uma "assassina", porém Euclydes relatou não se importar, uma vez que já ajudou outras pessoas na mesma situação.

Vale lembrar que em 2016, em entrevista #Polêmica para o "Fantástico" da "Rede Globo", Suzane foi flagrada sendo aconselhada pelos advogados a mentir e "fingir" arrependimento diante às câmeras.

Suzane pode deixar a prisão

Suzane pediu que migrasse seu regime de "semiaberto" para "aberto". No regime aberto a Justiça determinaria que a moça tenha o direito de dormir fora da cadeia, caso ela arrume um emprego fixo.

O processo que segue em sigilo, ao que tudo indica é favorável a Suzane, que frisa até mesmo o pedido de casamento que a jovem recebeu enquanto presa, no qual é positivo na avaliação dos defensores públicos.

Publicidade

Em um documento anexo ao processo, a diretora do presídio em que Suzane se localiza afirmou como exemplar a conduta dela na prisão.

O pedido de mudança do regime, já está em estado avançado, e já se encontra na mesa do promotor Paulo José de Taubaté.

Paulo José é conhecido por ser rigoroso nas avaliações de pedidos a detentos, e anteriormente já havia negado um pedido parecido a jovem, que após alguns testes destacou Suzane como dissimulada e agressiva, no entanto por outro lado, em um outro teste, foi constatado que Suzane, uma vez solta, não cometeria outro crime do mesmo gênero.

Mas vale lembrar que há um ano atrás, Paulo disse em entrevista a revista "Veja" que Suzane merece uma nova chance de inserção na sociedade.