Publicidade
Publicidade

O Brasil se comoveu ao ser anunciado o sumiço de #Bruno Borges, um estudante de psicologia, que desapareceu no Acre em março de 2017. Seu sumiço não havia sido esclarecido desde então, mas nesta semana, o jovem voltou tranquilamente para casa. A informação que foi divulgada no portal R7 [VIDEO], foi divulgada pela família do jovem de apenas 25 anos.

Segundo a família, apesar de Bruno Borges não ter dado muitos detalhes sobre seu desaparecimento, o jovem deu algumas pistas do que teria ocorrido. A polícia também diz que tem 'fortes indícios' do que aconteceu com o rapaz, que disse que não deve se pronunciar neste momento.

Publicidade

Jovem desaparecido no Acre, volta para casa

Segundo a irmã de Bruno Borges, Denise Borges, o jovem não quer falar neste momento sobre o assunto e seu silêncio será respeitado pela família. Já sua mãe, a empresária Denise Borges, disse que não tem muitos detalhes ainda, mas sabe que o jovem está muito magro [VIDEO], sem dar detalhes sobre o estado de saúde do estudante e que também relatou que ficou todo este tempo em um retiro. A mãe de Bruno revelou que estava completamente aflita e 'sem chão' e que esteve em Aparecida do Norte, onde está localizada a Basílica mais importante da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora de Aparecida. Lá ela rezou muito tempo, disse que colocou os joelhos no chão e rezou com toda a vontade. Logo depois seu filho aparece, mostrando que a fé deu resultados. A mãe só terá contato com o filho neste sábado, 12, já que ela ainda está em São Paulo.

Publicidade

Ainda segundo a família, Bruno Borges não deve ficar em casa, pois o local tem atraído a atenção de curiosos e jornalistas interessados em saber o que houve com ele.

Polícia diz ter fortes indícios do que aconteceu com Bruno Borges

O jovem estava desaparecido desde 27 de março da casa onde morava com os pais e a irmã, em Rio Branco, no Acre. O que intrigou todos os familiares e o Brasil, é que teorias diversas e algumas bizarras foram associadas ao seu sumiço. Falou-se até em abdução. Fato é que quando ele desapareceu, a família viu nas paredes de seu quarto, pinturas com escrituras e 14 livros escritos à mão de forma criptografada. Além disto, uma estátua em tamanho real de Giordano Bruno, filósofo, avaliada em R$ 7 mil.

No quarto de Bruno também havia dicas e pistas para que a cifra de seus livros fosse revelada. Um de seus textos chamava-se 'Caminho Difícil'.

Para a polícia, o desaparecimento do jovem não passou de uma jogada de marketing. A Polícia Civil do Acre ainda afirmou ter 'fortes indícios' de que o fato gerado por Bruno nunca se tratou de um crime e sim, uma forma de divulgação de seus livros, que foram deixados no quarto. O caso intrigou muitas pessoas e contou até com um episódio crítico: um amigo de Bruno foi detido por dar falso testemunho, tentando corroborar com teorias absurdas sobre o sumiço. #jovem sumido no Acre #Bruno Borges voltou