Um juiz da 1° Vara Criminal e de Execuções Penais de Varginha tomou um posicionamento [VIDEO] a respeito do #Goleiro Bruno, ex-flamenguista que foi acusado de planejar o assassinado da ex-namorada, a modelo Eliza Samudio, com quem teve um filho. O juiz autorizou a saída de Bruno do presidio no qual se encontra para dar aulas de futebol para crianças. A decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais garantiu que mesmo Bruno tendo que cumprir uma extensa pena, ele poderá sair da cadeia para trabalhar.

O advogado do ex-goleiro, Lúcio Adolfo, enfatizou que seu cliente ficou muito feliz com a novidade e que ele aparenta ser um "bom rapaz".

Publicidade
Publicidade

Bruno irá trabalhar na Nucap (Núcleo de Capacitação para a Paz), dando aula para crianças e adolescentes. Adolfo diz que mesmo que Bruno fosse o culpado pela morte da modelo, ele está apresentando grandes melhorias com o passar do tempo, mostrando uma "evolução constante". O trabalho de Bruno começa na próxima terça-feira, 8 de agosto. Segundo o advogado, o próximo passo para "melhorar" a vida de Bruno será julgado em uma audiência que ocorrerá no dia 13 de setembro.

A Nucap é um núcleo que atende filhos de presos e ex-presos e conta com aproximadamente 60 crianças. Mães que foram presas têm a possibilidade de conviver com seus filhos em um ambiente que não seja o prisional. O objetivo é inclusão e ressocialização.

Homicídio triplamente qualificado

Condenado a 22 anos e três meses de prisão, o ex-goleiro tinha uma carreira promissora pela frente, mas foi acusado de ser o mandante do crime que levou à morte a modelo Eliza Samudio.

Publicidade

A decisão da Justiça ocorreu em 2010 e Bruno foi mandado para o regime fechado com a acusação de homicídio triplamente qualificado. Além disso, houve um sequestro envolvendo o seu próprio filho menor de idade, no qual Bruno foi responsabilizado [VIDEO]. Até hoje, o corpo de Eliza Samudio nunca foi encontrado.

Ainda em fevereiro desde ano, Bruno ganhou liberdade após uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em que o ministro Marco Aurélio Mello autorizou uma liberdade provisória para o ex-goleiro. O fato acabou gerando grande repercussão com muitas pessoas contra e a favor da decisão do ministro. Em uma votação, o mesmo Supremo que liberou Bruno, o colocou de volta na cadeia. Os ministros votaram contra um habeas corpus que garantia a liberdade.

No período em que Bruno conseguiu a liberdade, ele foi escalado para o time Boa Esporte. #julgamento