Um homem foi detido depois de ser acusado de cometer um estupro virtual contra uma jovem, que seria sua ex-namorada. O crime aconteceu na cidade de Teresina, no Piauí. Apesar desse tipo de infração não existir, o rapaz, de 34 anos, foi preso baseado no artigo do Código Penal brasileiro, artigo 213, como crime de estupro, por obrigar a mulher a praticar ações de caráter sexual contra a sua própria escolha. Essa é a primeira prisão por esse tipo de crime no Brasil, de acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública.

De acordo com informações da #Polícia, o suspeito teria chantageado e obrigado a mulher, de 32 anos, e praticar atos de cunho sexual contra si própria, como tocar o próprio corpo, em troca de manter a sua identidade e imagens preservadas.

Publicidade
Publicidade

Em posse de fotos e vídeos íntimos do tempo em que namoravam, o suspeito obrigava a jovem a enviar novas gravações e imagens sem roupa.

Para ameaçar a ex-namorada de forma anônima, o rapaz, que trabalha como técnico de informática, criou um perfil falso nas redes sociais e postou fotos da vítima nua, afirmando que, caso ela não fizesse as novas imagens, ele enviaria o perfil para os familiares e amigos da mulher.

Nos últimos meses, antes do crime ser denunciado, o homem criou novos perfis falsos e passou a fazer cada vez mais exigência, até que a vítima não aguentou e acabou denunciando o crime, ainda sem saber que o suspeito se tratava do seu ex-namorado. Com uma ordem judicial, os policiais identificaram o IP do computador e chegaram ao endereço do suspeito.

Estupro virtual pode dar cadeia

De acordo com o delegado que cuida do caso, Daniell Pires Ferreira, apesar de não ter existido contato físico entre o suspeito e a vítima do crime, o ato está classificado como estupro, mesmo tendo ocorrido no ambiente virtual, pois o homem obrigou a mulher a praticar um ato libidinoso contra sua própria vontade.

Publicidade

“Ela foi ameaçada para fazer essas imagens e isso caracteriza estupro”, afirmou o delegado. O suspeito foi preso provisoriamente pelo prazo de 30 dias. Em depoimento à polícia, ele confirmou a chantagem, mas disse que estava apenas “brincando” com a ex-namorada. Ele manteve um relacionamento curto de apenas duas semanas com a vítima e estaria inconformado com o término da relação.

O técnico de informática mora no mesmo bairro da ex-namorada, é casado e sua esposa está grávida. Em buscas no notebook do rapaz, a polícia encontrou milhares de imagens de mulheres nuas e agora vai averiguar se ele pode ter praticado outros crimes pela internet. #investigação #EstuproVirtual