Um homem acusado de torturar e colocar pimenta nas partes íntimas da sua mulher foi preso. O crime aconteceu em Pirenópolis, cidade localizada a 120 km de Goiânia (GO). O mototaxista Elisomar Pereira da Silva, de 31 anos, foi preso depois ser denunciado através de uma ligação anônima.

Segundo o delegado Martins, ele vai responder pelos crimes de tortura [VIDEO], estupro de vulnerável e crime de trafico. A investigação teve início no dia 19 passado depois que as polícias Civil e Militar receberam uma denúncia anônima dizendo que Elisomar mantinha a mulher, de 39 anos, presa em cárcere privado.

Logo após a ligação anônima, a Polícia Civil do Distrito Federal também entrou em contato com Pirenópolis para falar sobre a denúncia.

Publicidade
Publicidade

Elisomar havia enviado algumas fotos da mulher machucada depois de ser agredida a alguns amigos, que denunciaram o caso.

Com a denúncia em mãos, os policiais se deslocaram até a residência do casal, mas não encontrou ninguém no local. Conversaram, então, com os vizinhos, que disseram não desconfiar de nada. À noite, a própria vítima ligou para a delegacia e indagou os policiais o motivo de terem ido em sua casa. A mulher ainda alegou que estava tudo bem, mas a investigação continuou.

Investigação

Elisomar foi preso no dia 22 de julho em Anápolis, pois teria fugido com sua mulher com a intenção de despistar a policia. As investigações tiveram fim nesta terça-feira (1º) e foram encaminhadas para a Justiça. Após a prisão do suspeito, a polícia encontrou vários áudios e fotos das agressões sofridas pela mulher.

Publicidade

Em um dos vídeos, o mototaxista fala sobre sua mulher com um amigo e disse que havia colocado pimenta nas partes íntimas da esposa e quebrado um facão nas costas dela. Se Elisomar for condenado pelos três crimes, a pena poderá chegar a 28 anos de prisão.

O amigo que recebeu o áudio também foi indiciado e ira responder em liberdade, pois sabia do crime e não denunciou. Segundo o delegado Ariel Martins, responsável pelo caso, Elisomar ficou em silêncio durante o depoimento.

Além das agressões serem comprovadas pelo exame de corpo de delito, ainda foi constatado que a mulher teria sido violentada sexualmente pelo marido, que fazia atos libidinosos, além de colocar pimenta nas partes íntimas. Depois que o taxista foi preso, a mulher foi encaminhada a um hospital, onde realizaram exames e a liberaram. A mulher se encontra na casa de parentes. Agora o mototaxista vai permanecer preso até o dia do julgamento. #goiania #Polícia Federal