Mais um caso de justiçamento [VIDEO]veio à tona nesta semana, expondo a fragilidade das estruturas que envolvem o sistema de segurança pública e a legislação penal brasileira. Um homem que matou um catador de lixo reciclável de maneira brutal acabou tendo sua casa incendiada, diante do ato selvagem que cometeu. O caso aconteceu na tarde desta quinta-feira (3), na pequena cidade de Tremembé, de pouco mais de 45 mil habitantes, localizada no interior de São Paulo.

Segundo informações da #Polícia Militar, tudo aconteceu por causa de uma briga entre dois irmãos, que estavam dentro de uma residência no bairro Parque das Flores.

Publicidade
Publicidade

Os dois brigavam dentro da casa e um deles atirou as roupas do outro no meio da rua.

Catador que passava na rua pegou as roupas e foi morto

No momento em que as roupas foram atiradas na rua, um catador de materiais recicláveis, de 32 anos, pegou o material, por achar que se tratava de algo que tivesse sido jogado fora e, portanto, ninguém fosse dar por falta. Afinal, como ensina o ditado popular, "achado não é roubado".

Só que o que o catador não esperava é que fosse ser agredido brutalmente, pelo simples fato de ter pego as roupas que estavam no meio da rua.

Um dos irmãos que teve as roupas atiradas na rua, ao ver suas roupas sendo levadas, iniciou uma discussão com o catador de recicláveis e o entrevero avançou para algo muito pior. O que era uma discussão banal acabou se transformando em um confronto físico e o homem acabou agredindo o catador com uma barra de ferro, de forma tão brutal que ele faleceu no local, devido à gravidade dos ferimentos.

Publicidade

População se revolta e incendeia casa do agressor

A agressão covarde promovida pelo homem revoltou os moradores do bairro, que se uniram para tentar fazer justiça com as próprias mãos, punindo o assassino.

Como objetivo de dar uma lição no assassino, alguns moradores do Parque das Flores decidiram incendiar a residência dele. O Corpo de Bombeiros precisou ser chamado para conter as chamas e, felizmente, ninguém se feriu no incêndio.

O homem acusado de matar o catador de lixo acabou fugindo do local, mas foi encontrado pela polícia no final da tarde, em um distrito industrial na cidade vizinha de Taubaté. O homem, que tem 37 anos, acabou confessando o crime e foi preso por #homicídio.

Fazer justiça com as próprias mãos também é crime

O #justiçamento ou o ato de fazer justiça com as próprias mãos não é considerado justiça por especialistas em direito e sociologia, porque parte do ódio. Ao praticar um crime, a pessoa deve pagar pelo que fez perante a Justiça. Nos casos de justiçamento, as pessoas agem com ódio e, no fundo, acabam incitando ainda mais a violência, em vez de haver a promoção da justiça.