No intuito de saber quem realmente precisa receber os benefícios e quem já pode voltar ao #Trabalho, o #INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) convocou milhares de segurados, sendo que todos os nomes já foram publicados nesta terça-feira, dia 1º de agosto, no Diário Oficial da União. Todos os beneficiários que tiveram seus nomes publicados recebem auxílio-acidente, auxílio-doença ou se aposentaram por invalidez e deverão passar por uma nova perícia.

O número de internautas tentando acessar o site do Diário Oficial é tão grande que o servidor acabou enfrentando dificuldades e a página ficou fora do ar na tarde desta terça-feira.

Publicidade
Publicidade

A Imprensa Nacional já informou que está ciente do problema e que trabalha para resolvê-lo o mais rápido possível. Porém, não deu nenhuma previsão de quando o serviço estará funcionando novamente.

Quem quiser saber se o seu nome está na lista dos que deverão voltar ao INSS para uma nova perícia pode ligar gratuitamente para o telefone 135. É só informar o número do CPF ou do PIS/PASEP da pessoa segurada e receberá todas as informações.

As datas de todas as perícias para as pessoas que estão nesta lista já foram marcadas e os segurados têm até cinco dias corridos para entrar em contato pelo telefone 135 e se informarem. Todos que não entrarem em contato e não comparecerem à perícia terão o benefício suspenso.

O INSS alega que estas milhares de pessoas foram convocadas anteriormente, através de cartas enviadas para os endereços cadastrados no banco de dados, mas as correspondências acabaram voltando, pois, de acordo com o Correios, os dados estavam incompletos ou não encontraram a pessoa no endereço.

Publicidade

No caso daqueles que realmente têm seu nome na lista e que já confirmaram a data da perícia, mas não puderem comparecer, seja por motivo de doença, ou até mesmo por estar internado, precisará solicitar a uma pessoa que vá a uma agência do INSS imediatamente para informar o ocorrido.

Será preciso apresentar não só o documento de identidade do segurado, como também um documento que possa comprovar a não capacidade em comparecer à perícia na data estipulada, podendo ser um atestado médico ou uma declaração do hospital de que a pessoa encontra-se internada. Desta forma, será possível que a perícia seja feita no hospital ou até mesmo no domicílio do segurado.

O Ministério do Desenvolvimento Social estima que serão economizados por ano cerca de R$ 2,6 bilhões após o cancelamento de quase 160 mil benefícios. Cerca de 200 mil perícias já foram realizadas e destas, 180 mil foram canceladas. #aposentadoria