Mais um crime envolvendo abuso sexual de menores chocou a internet [VIDEO] nesta última quarta-feira (2). Uma mulher e dois homens foram presos acusados de abusar sexualmente duas meninas, uma com 12 anos e a outra com 13. A violência ocorria na cidade de Jeremoabo, região Norte da Bahia.

O que mais chamou a atenção neste caso é que a mulher é a própria mãe das crianças, um dos homens é o seu companheiro e o outro primo dele. De acordo com as informações divulgadas [VIDEO] pela #Polícia Civil, através do delegado Ailton José, responsável pelas investigações, os abusos vinham ocorrendo há cerca de dois anos. Começaram quando as meninas eram ainda bem pequenas.

Publicidade
Publicidade

Segundo os policiais, Bernadete Alves Menezes realizava festas em sua residência, quando, além do consumo de álcool, ela facilitava que seu companheiro, Adriano Santos Nascimento, e o primo dele, Benival Santos Ferreira, cometessem os abusos contra as duas meninas, se aproveitando de sua vulnerabilidade.

A polícia chegou até os suspeitos depois de receber inúmeras denúncias anônimas. Foi então que começaram a apurar o caso. Devido aos fatos levantados pelo delegado, foi expedido mandado de prisão preventiva contra os três adultos envolvidos.

Eles foram localizados pela Delegacia Territorial (DT) do município. Os três foram autuados pelos crimes de estupro de vulnerável, enquadrados também na Lei Maria da Penha e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Os acusados foram encaminhados ao Presídio de Paulo Afonso, e ficarão presos à disposição da Justiça para que se conclua o inquérito, pois o caso continuará sendo investigado para que se defina exatamente qual a participação de cada um deles e se houve mais pessoas envolvidas nas agressões contra as vítimas.

Publicidade

Já as duas crianças foram levadas ao Conselho Tutelar de Jeremoabo, para que recebam a assistência necessária dentro de suas necessidades.

Segundo estatísticas, 70% das vitimas de abuso sexual são crianças e adolescentes. Muitos desses casos ocorrem dentro de suas próprias casas e são praticados por adultos da própria família ou de convívio próximo da vítima.

Ainda segundo dados, os números podem ser muito maiores, já que muitos casos nunca chegam a ser notificados, porque muitas das vítimas são adolescentes e, por uma questão cultural, eles preferem não revelar os abusos que sofreram por se sentirem muito humilhados com a situação. Elas crescem sem que ninguém saiba o que sofreram na infância ou adolescência. #relação íntima