Publicidade
Publicidade

Uma mulher simulou a sua própria doença para aplicar um #Golpe que enganou milhares de pessoas. Na cidade de São Gotardo, no Alto Paranaíba, distante pouco mais de 100 km de Patos de Minas (MG), Kamila Resende Nunes fingia ter uma grave doença que infeccionou seus olhos e para isso utilizou de maquiagem especial para simulação. O dinheiro da arrecadação, através do site, seria para custear uma cirurgia dos olhos. Como o site recebe a visita de centenas de milhares de pessoas, muita gente de bem se comoveu com o caso e fez doações.

A farsante compareceu diversas vezes ao Hospital Municipal de São Gotardo, sempre em busca de atendimento para aliviar sua pressão alta.

Publicidade

Ela ia ao hospital com uma aparência assustadora, o que gerava olhares e comentários das pessoas e funcionários. Entretanto, se algum profissional pedisse para ver a região dos olhos da mulher, ela negava e dava um jeito de sair assim que possível. Na verdade sua ''ferida'' não existia. Era apenas uma maquiagem muito bem produzida.

Após ser investigada, Kamila foi finalmente presa e levada para a cadeia. A polícia apreendeu também em sua residência uma porção de maquiagens, receituários e laudos médicos.

Os laudos serviram para que a golpista alterasse nomenclaturas e assim falsificasse para corroborar com arquivos que eram carregados no site para visualização de todos. A denúncia citava justamente esse detalhe.

As vantagens angariadas com o golpe foram doações de muitas pessoas de diversas partes do país, que haviam se comovido com o seu caso e que agora, cientes do golpe, procuram alguma forma de reaver esse valor.

Publicidade

A notícia se espalhou pela cidade de pouco mais de 40 mil habitantes, e Kamila pode responder na Justiça por #Estelionato e falsidade ideológica. O valor arrecadado supera os R$ 100 mil.

''A gente já é pobre. Tira [sic] da gente pra dar para uma pessoa que não é doente. Aí, Nossa Senhora... dá muita raiva'' disse uma moradora.

O crime de estelionato

Muitos golpistas utilizam a internet para cometer crimes e arrecadar dinheiro. O estelionato é previsto como crime contra o patrimônio (Título II, Capítulo VI, Artigo 171). A definição de estelionato representa "obter, para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento." Assim sendo é um crime doloso, não havendo forma culposa.

Golpes como o do bilhete premiado, SMS premiado, golpe do falso emprego e até mesmo o golpe do botijão do gás são outros exemplos. São pessoas simples, mas inteligentes para praticar o mal e que podem estar levando uma vida de luxo, acima de qualquer suspeita.

Publicidade

Recentemente um golpista usou a doença de um ex-jogador do Corinthians para cometer o estelionato. Criou, inclusive, uma conta no Instagram como @oficial.dinei18 e lá pedia doações, afirmando que o ex-craque do futebol necessitava arrecadar R$ 20 mil para tratar da saúde.

A denúncia é um instrumento de cidadania e que pode ser relevante na atuação dos órgãos responsáveis pela repressão dos abusos cometidos contra as leis, contra os costumes, enfim, contra a sociedade em geral no estado democrático de direito. #Caso de polícia