Alguns crimes podem chamar muita atenção de toda a mídia por conta de toda a crueldade a que eles estão relacionados. Nesta semana, por exemplo, um crime que aconteceu na cidade de Campo Alegre, localizada no estado de Alagoas, acabou chocando o país. Isso porque o crime envolveu toda uma família em um ato contra uma garotinha, como mostrou o portal de notícias G1.

Garota de apenas 10 anos é estuprada pelo pai, mãe e irmão no estado de Alagoas

A menina, como mostra uma matéria do portal de notícias G1 sobre o caso, tem apenas 10 anos de idade. Mesmo assim, a família parecia não ter a menor piedade dela e o que acontecia com a menor de idade causou verdadeira polêmica e raiva nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

A mãe sabia de tudo o que acontecia e também participava dos abusos, tampando a boca da menor de idade, a fim de que o barulho dos seus gritos não fossem ouvidos pelos vizinhos.

'Ela queria que eu sofresse muito', diz menina estuprada por mãe, irmão e pai

Em entrevista ao G1, o delegado do caso, Alexandre César, deu mais detalhes sobre a barbaridade enfrentada pela menina. A mãe, assim como os demais parentes relacionados ao abuso sexual, já foram presos. O irmão é o mais novo dos criminosos e tem 22 anos. Já o padrasto, que a menina chamava de pai, tem 48 anos. Em depoimento, a menina conta que sua mãe parecia que queria que ela sofresse mais e fazia sempre questão de estar no mesmo local dos abusos, participando do estupro.

Mãe fazia questão que filha sofresse em estupro que envolve ainda o irmão e pai da garota no estado de Alagoas

A #Polícia afirma que a denúncia sobre os estupros partiu de uma unidade importante contra os abusos que acontecem no seio familiar, o Conselho Tutelar da região.

Publicidade

Houve apenas um pequeno tempo para que a polícia apurasse as evidências e decidisse se prenderia a família ou não. Com dados tão concretos do que aconteceu, ficou praticamente impossível não deter os envolvidos no caso.

O destino incerto da menina estuprada por toda a família em Alagoas

Um exame de corpo e delito foi feito na menina, que não pode ter o nome revelado, no Instituto Médico Legal (IML) da região. O procedimento confirmou que a garotinha era mesmo abusada. Agora ela está em um abrigo e sob os cuidados do conselho tutelar. Ainda não se sabe se existe um outro familiar que seja capaz e esteja disposto a tomar conta da menina. Por enquanto, assim como muitas crianças, ela está órfã, mas, pelo menos, sem ter que sofrer barbaridades diárias. #investigação