Publicidade
Publicidade

O grupo criminoso Primeiro Comando da Capital (PCC) planejava cometer mais uma sequência de assassinatos no país. A quadrilha que ganhou membros e simpatizantes em todo o Brasil continua a impor medo e terror dentro e fora dos presídios brasileiros.

De acordo com órgão do Ministério da Justiça conhecido como Depen (Departamento Penitenciário Nacional) o PCC planejava cometer uma sequência de assassinatos de servidores do sistema penitenciário. Seria nada menos do que dois assassinatos para cada penitenciária federal, sendo assim: Mossoró (no Rio Grande do Norte), Campo Grande (em Mato Grosso do Sul), Porto Velho (em Roraima) e Catanduvas (no Paraná).

Publicidade

Segundo especialistas, esse tipo de crime é uma ameaça para ''intimidar e desestabilizar” os servidores que trabalham nessas unidades. O PCC possui mais de mais de 30 mil ''soldados''. A quadrilha estaria "recrutando" soldados no Amazonas, para se fortalecer.

Agentes são vítimas em potencial para os criminosos

No dia 12 de abril, o agente penitenciário Henry Charles Gama Filho foi achado morto a tiros em um bar em Mossoró (RN). Outro terrível assassinato foi o de Alex Belarmino Almeida Santos, de 36 anos. Ele havia passado por um quebra-molas em uma rua de Cascavel, no Paraná, quando, de repente, um homem dele se aproximou. A última coisa que ele ouviu foi o tiro do revólver. O homem armado puxou o gatilho 18 vezes. Um claro sinal de extermínio.

Apesar das recomendações, os agentes penitenciários, quando estão fora do serviço, relatam que se sentem inseguros.

Publicidade

E não por menos. Os membros do PCC possuem toda uma inteligência: monitoram, armam emboscada e ceifam vidas num piscar de olhos. Chegaram a gravar vídeo das barbáries que cometem e compartilharam no WhatsApp e no Facebook, sem qualquer pudor.

Um homem procurado pela Polícia, pertencente à quadrilha se vangloriava em foto na rede social, na posse e companhia de uma submetralhadora e um pitbull.

Conheça o Departamento Penitenciário Federal

O Depen, desde 1954, trabalha em conjunto com a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária. A sua principal atribuições é a administração do sistema penitenciário. Trabalha no apoio e orientação técnica com relação às unidades do sistema carcerário brasileiro. Coordena, supervisiona e controla ações, bem como zela pelo aperfeiçoamento e aprimoramento de seus agentes de acordo com os termos da Lei.

É um dos mais transparentes, estruturados e importantes departamentos do mundo. #massacre #agente penintenciario #Violência