Nem tudo é o que parece ser. Esse ditado é muito válido quando o assunto é tráfico de drogas. Afinal, os homens do tráfico usam e abusam da criatividade para esconder da polícia os atos ilícitos que praticam. Mas foi na tarde desta terça-feira (1º) que traficantes acabaram perdendo mais uma batalha para a polícia, quando os homens da Polícia Militar Rodoviária descobriram #maconha escondida entre a carga de milho em um caminhão que vinha do Mato Grosso do Sul. A descoberta fez com que os policiais apreendessem uma quantidade absurda de entorpecentes: #9 toneladas de maconha, além de pacotes de haxixe e de maconha "skunk", droga considerada 30 vezes mais potente que a convencional.

Publicidade
Publicidade

O flagrante aconteceu na zona rural da cidade de Anhumas. A cidade está localizada na região de Presidente Prudente, uma das mais ricas do estado, já quase na divisa com o estado de Mato Grosso do Sul. Segundo informações da PM, o veículo foi parado na rodovia Henrique Moreno, para uma averiguação de rotina.

PM encontra vários pacotes de drogas junto com o milho

Durante a fiscalização, os policiais abordaram o motorista e revistaram o veículo, um caminhão Scânia com semi-reboque e placas da cidade de Bela Vista (MS). O homem que conduzia o caminhão, de 42 anos, apresentou a nota fiscal da carga aos policiais.

No entanto, na busca dentro do semi-reboque, os PMs encontraram o que parecia improvável: 8.213 tabletes de maconha, totalizando 9,2 toneladas da droga. Os policiais ainda encontraram 26 pacotes de maconha do tipo "skunk", totalizando 16,9 quilos, e um pacote de haxixe, com um quilo da droga, que é considerada uma das mais perigosas do mundo.

Publicidade

Nesta imagem divulgada nas redes sociais da Polícia Militar, é possível ver as embalagens de drogas apreendidas:

Motorista é preso por tráfico e teve caminhão apreendido

O motorista que conduzia o caminhão e as drogas foi preso pelo crime de tráfico de entorpecentes. Tanto o caminhão como as drogas foram apreendidas.

O profissional acabou sendo indiciado mesmo após as alegações de que teria sido contratado para levar a carga de milho até o município de Borborema (SP), que fica a 314 quilômetros de onde o flagrante aconteceu.

Ao ser questionado sobre as drogas, o motorista afirmou que não sabia que havia entorpecentes no veículo e que recebeu o valor de R$ 70 para fazer a viagem e transportar a carga até o destino final.

O Instituto de Criminalística (IC) foi o órgão responsável pelo trabalho de perícia nos entorpecentes. #apreensão