Divulgado nesta terça-feira, 1º de agosto, o Relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), ligado à Organização das Unidas, (ONU), revela que o índice de crianças com até seis meses de vida, alimentadas apenas com aleitamento materno no mundo é de apenas 40%.

Divulgação do Relatório abre Semana Mundial de Amamentação

O documento foi divulgado justamente na Semana Mundial de #Amamentação, celebrada mundialmente de, de 1 a 7 de agosto. Com a participação também da Global Breastfeeding Collective, o documento acrescenta, que no Brasil a taxa é de 38,6%, e somente 23 dos 194 países da ONU, apresentaram estatística dessa prática exclusiva nessa faixa etária acima de 60%.

Publicidade
Publicidade

ONU recomenda países-membros a incentivar amamentação exclusiva

*Promover licença familiar remunerada e políticas para amamentação no local de trabalho, com base nas diretrizes de proteção à maternidade, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), como requisito mínimo, incluindo provisões para o setor informal;

*Implementar os dez passos para o êxito da amamentação nas maternidades, incluindo o fornecimento de leite materno para recém nascidos doentes e vulneráveis.

Concordando com a ONU o Ministério da Saúde enfatiza, que a Semana Mundial da Amamentação é importante, por favorecer estratégias nas ações de incentivo ao aleitamento materno.

Leite materno contém todos nutrientes necessários à criança

A prática da amamentação é importante nos primeiros seis meses de vida, porque é o alimento natural que contém todos os nutrientes para as necessidades do bebê recém-nascido.

Publicidade

De acordo com o site sbp.com.br, da Sociedade Brasileira de Pediatria, que apoia a Semana Mundial de Amamentação, do Ministério da Saúde, esse ano, a campanha desenvolve o tema: “Trabalhar juntos para o bem comum”. Nela são realizados eventos, assinalando a importância da amamentação.

Amamentar reduz mortes de mulheres e crianças

A amamentação fortalece o vínculo entre mãe e filho. Sua reação no organismo infantil contribui para redução de mortes de bebês, evita diarreia e infecção respiratória e alergias diversas. Para a mulher que amamenta a ação contribui para a diminuição de hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade .Este ato de amor, ajuda ainda reduzir cânceres de ovário e de mama, que figuram entre as principais causas de mortes de mulheres. #nutrientes #Semana Mundial de amamentação