Felipe Campinhos saiu de sua residência no bairro Buritizal, na última quarta-feira (9), por volta das 14h. Ele se dirigia a uma agência da Caixa Econômica Federal, que fica localizada no Centro de Macapá, capital do Amapá. Lá ele resolveria alguns problemas pessoais. Porém dentro do ônibus, ele foi abordado por um homem, aparentemente com seus 35 anos, que carregava consigo uma Bíblia Sagrada. Esse homem, que supostamente seria um evangélico, sentou-se em um banco à frente do jovem e o ficou observando de maneira constrangedora.

Minutos depois, a pessoa que estava ao lado do jovem desceu do ônibus, foi neste momento em que o suposto evangélico levantou e sentou-se ao lado do jovem.

Publicidade
Publicidade

O homem começou a perguntar para Felipe sobre sua orientação sexual e também se o mesmo tinha alguma religião. “Neste momento eu ainda o respondi com toda educação. Porém, quando falei que era #homossexual, ele logo me perguntou: ‘E um boquete, será que rola?’ [VIDEO] Tenho que confessar que naquele momento eu fiquei tomado pelo ódio, completamente sem paciência com aquele homem, eu já estava filmando tudo com o meu celular. Foi quando me levantei e comecei a filmá-lo, o expondo para todos que ali estavam, pois ele, um suposto evangélico, ainda com uma Bíblia debaixo do braço, cometendo essas atitudes, que já sabemos que é crime de assédio. Ele me parecia louco, pois cometendo tal atrocidade dentro de um transporte público”, disse Felipe Campinhos, ainda assustado.

“Não estou querendo pagar de vítima nas redes sociais, mas todos que assistiram minha filmagem podem confirmar o quão horrível é para mim ser exposto a tamanho constrangimento, ainda mais dentro de um transporte público.

Publicidade

Fiquei arrasado, me sentindo um nada e sei que não sou o único a passar por esse tipo de situação. Diariamente isso ocorre por todo o país, mulheres, menores, crianças, LGBT. Essas pessoas não conseguem nos respeito. Isso que aconteceu comigo é inaceitável. Um homem chega do meu lado e me pede que eu satisfaça seu prazer carnal [VIDEO]. Isso fere qualquer pessoa”, desabafou.

“Eu torço para que eu tenha uma boa noite de sono a partir desse dia. Porém, tenho consciência que isso vai ficar na minha mente por muito tempo. Eu vou tomar providências, entrarei com um processo judicial para identificar esse homem, para que ele seja punido e nunca mais faça com outros o que fez comigo. Mesmo diante de todo constrangimento, tomei a atitude de grava e lançar nas redes sociais”, afirmou Felipe.

E você, qual sua opinião sobre o caso? Assista ao vídeo logo abaixo e deixe seu comentário.

#Macapá #assédio sexual dentro do ônibus