Ex-procurador geral da República, Marcello Miller enviou nesta terça-feira, dia 12, uma petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que o atual procurador-geral da República, #Rodrigo Janot, preste depoimento no processo que investiga se Miller agiu a favor da empresa JBS enquanto ocupou o cargo na Procuradoria-Geral da República (PGR). As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Em sua petição, Miller afirmou que seu destino já foi “previamente decidido”, e afirmou que o depoimento de Janot pode auxiliar a esclarecer que ele não atuou a favor da empresa alimentícia no período em que ocupou o cargo. Além da declaração Miller também afirmou ao ministro Edson Fachin que seus sigilos fiscal e bancário estão à disposição da Justiça para investigação.

Publicidade
Publicidade

Segundo a denúncia apresentada por Janot, o ex-procurador teria beneficiado a JBS ao não investigar o pagamento de propina realizado pelo grupo à orgãos federais. A JBS era então liderada por seu presidente, Joesley Batista [VIDEO], que está detido na sede da Polícia Federal em Brasília após ser acusado de ter omitido informações no acordo de delação premiada que firmou com a PGR.

Segundo a reportagem da Agência Brasil, Janot apresentou e-mails de um escritório de advocacia que tinha contrato com Miller e que supostamente comprovam que o ex-procurador, que deixou o cargo em abril deste ano, teria agido a favor da JBS. #Joesley Batista #Lava Jato