Publicidade
Publicidade

No ano de 2013, uma tragédia envolvendo um adolescente e sua família chocou o país. Trata-se do caso de Marcelo #Pesseghini. O estudante de 13 anos foi apontado como o assassino de seus pais policiais, da avó materna e sua tia-avó antes de se suicidar.

O crime, ocorrido no dia 4 de agosto daquele ano, ainda hoje gera motivos de desconfiança por parte da família paterna do garoto, que não aceita a versão da polícia, que aponta que Marcelo foi responsável pelas trágicas mortes. [VIDEO]

Por conta disso, os avós paternos do adolescente e mais duas mulheres da família pensam em recorrer à CIDH (Comissão Internacional Interamericana de Direito Humanos) da OEA (Organização dos Estados Americanos) para que o país reconheça Marcelo como vítima da história.

Publicidade

Caso Marcelo Pesseghini tem reviravolta surpreendente

De acordo com informações do portal de notícias R7, um laudo divulgado pela advogada da família, Roselle Soglio, aponta uma manipulação no vídeo em que o adolescente aparece saindo de um carro após supostamente ter cometido o crime. Segundo o laudo, foram cortados cerca de 20 segundos do vídeo em que mostra Marcelo indo para a escola.

A advogada ainda afirma que não tem como um adolescente de 13 anos saber arquitetar um plano maléfico desta magnitude [VIDEO], já que ela não sabia dirigir e muito menos atirar. Ela, inclusive, já deu entrada a dois pedidos na Promotoria Pública do Estado de São Paulo para que o caso fosse reaberto na Justiça, mas teve as solicitações negadas.

Agora, Roselle pensa em levar o caso à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que pode intervir e obrigar as autoridades brasileiras a reabrir o caso.

Publicidade

Ainda de acordo com a advogada, há provas de que as imagens da câmera de segurança não foram utilizadas durante a investigação do caso.

O material, então, foi levado para a pericia americana da Law Enforcement and Emergency Services Video Association, que apontou que o relógio da gravação pula de 6:24:41 para 6:24:43, um tempo que poderia mudar os rumos da investigação.

Nas redes sociais, onde circulam notícias sobre o caso Pesseghini, sempre há muita polêmica nos comentários. Muitos acreditam que tudo foi armação da própria #Polícia, já que a mãe do adolescente estava para denunciar um esquema criminoso que envolvia policiais. Outros já acreditam que menino foi capaz de arquitetar todo plano e é realmente o assassino.

Polícia Civil já declarou caso encerrado

A Polícia Civil decretou o encerramento do inquérito sobre o caso e concluiu que Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini matou o pai e sargento da Rota Luiz Marcelo Pesseghini, de 40 anos, a mãe e cabo da Polícia Militar Andréia Bovo Pesseghini, de 36 anos, a avó Benedita Oliveira, de 65 anos, e a tia-avó, Bernadete, de 55 anos, e logo depois cometeu suicídio.

Publicidade

Na época do ocorrido, a população brasileira ficou chocada com o caso e muitos não acreditaram que o menino que aparecia nas fotos da família seria capaz de cometer um crime tão bárbaro contra os próprios familiares, em um ato que mais parecia filme de suspense do que realidade. #mortes