Publicidade
Publicidade

Recentemente, um crime acabou chamando a atenção pública de todo o Brasil. [VIDEO]Pais foram com uma menina de apenas 7 meses para um motel da capital do Amazonas, a cidade de Manaus. No local, eles estupraram a criança, que, aos gritos, desesperava funcionários do local.

A polícia foi chamada e os pais do bebê foram presos. Ainda se espera o resultado de um exame de DNA, a fim de que haja certeza de que a criança é mesmo filha dos dois. No entanto, a suposta mãe foi levada para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), na capital do estado. No local, ela sofreu "o diabo" e sua vida virou um verdadeiro inferno.

Detentas fazem rebelião para matar mulher que estuprou filha de 7 meses em motel

De acordo com informações do portal CM7, um motim foi realizado na cadeia na última quarta-feira (6), durante o período da tarde.

Publicidade

A rebelião foi confirmada por outros portais de notícias. Pelo menos três agentes penitenciários foram feitos reféns na ação. As criminosas presas estavam muito irritadas e, inclusive, colocaram fogo em diversos colchões que estavam nas celas.

O motivo é que elas queriam matar a suposta mãe do bebê que está presa no local. A mulher está em uma área que as outras presas não têm acesso e, por isso, não conseguiu ser pega por elas. Mesmo assim, ela viveu o pânico de ter sido descoberta.

Detentas se revoltam e fazem de tudo para matar mãe estupradora de bebê

Também foram encontradas com as mulheres que faziam os motins diversas armas artesanais, que, acredita-se, tenham sido feitas com arame farpado encontrado na própria cadeia. As mulheres diziam que uma das reivindicações é que a mãe estupradora de bebês fosse colocada junto com elas para tomar uma lição.

Publicidade

O crime aconteceu no fim do mês passado e o casal foi preso em flagrante. Muita gente pede que os dois sejam punidos severamente. O suposto pai da criança é um médico peruano, que participaria do programa brasileiro ‘’Mais Médicos’’.

Exames confirmaram que bebê de 7 meses era violentada há mais tempo

Após a prisão dos pais da bebê, foram feitos exames no Instituto Médico Legal (IML) que comprovaram que a bebê vinha sendo abusada há muito tempo, visto as condições do ânus e vagina da criança. A Secretária de Administração penitenciária do Amazonas confirma que foram três horas de motim, mas que, após isso, os agentes penitenciários foram liberados.

Cinco presas serão levadas para a solitária por causa da rebelião. Já a mãe da bebê estuprada não teria sido morta, como chegaram a dizer alguns blogs amazonenses. #Estupro de bebê de 7 meses #É Manchete!