Uma mulher de 28 anos deu à luz na recepção no Hospital Regional do Gama, hospital público que fica localizado no Distrito Federal, na madrugada desta quarta-feira, dia 13, enquanto esperava por atendimento [VIDEO].

Segundo testemunhas que presenciaram o ocorrido, a mulher começou a sentir contrações e o bebê nasceu [VIDEO], vindo a cair no chão. Uma das testemunhas chegou a dizer que o 'Barulho foi alto e assustador'.

A mãe do bebê, Francisca da Silva, que chegou no hospital Gama em trabalho de parto, havia sido transferida de outra unidade o Hospital Regional do Jardim Ingá. Francisca afirma que, ao chegar no Hospital Gama por volta da uma da manhã, informou para os funcionários da recepção de que o bebê já estava saindo e mesmo assim eles mandaram aguardar.

Publicidade
Publicidade

O marido de Francisca, o vendedor Adão Francisco Pereira, informou que um enfermeiro do Hospital Jardim Ingá estaria na recepção acompanhando sua mulher, e que ao perceber que o bebê estava nascendo não fez nada para ajudá-la. Adão informa ainda que, durante o trajeto de transferência de um hospital para o outro, o enfermeiro se recusou a ir na parte de traz da ambulância, fazendo o trajeto juntamente com o motorista, largando a mulher dele à própria sorte.

A Secretaria de #Saúde divulgou nota, negando que houve a queda do bebê, e afirma que a mãe, quando chegou até o hospital, já estava em trabalho de parto avançado, que não houve tempo para que a equipe do centro obstétrico chegasse para atendê-la.

Apesar de negar o fato da recém-nascida ter caído no chão, a Secretaria de Saúde informou ainda que a bebê deverá passar por exames clínicos na tarde desta quarta-feira, para avaliar com certeza de que não houve nenhuma sequela.

Publicidade

Ainda, segundo a nota, após o nascimento, foram prestados os primeiros socorros no bebê, bem como na mãe e que o quadro de saúde de ambas é estável. Até o momento não existe previsão de alta.

Embora tenha tentado se justificar sobre o ocorrido, a secretaria deixou de informar quantos #Médicos estavam de plantão no momento em que a mulher deu à luz. Também não informou sobre quais medidas serão tomadas para que não ocorra novos casos.

Outras pessoas que também aguardavam na recepção disseram que a espera por atendimento no hospital sempre é longa, inclusive informa o Sr. Adriano Carvalho, que testemunhou o parto, que estava esperando na recepção, há mais de 40 minutos por atendimento de sua esposa, que também estava em trabalho de parto.

A bebê que nasceu de uma forma inusitada recebeu o nome de Evelyn. #Maternidade