Uma mostra de museu virou um dos principais assuntos do Brasil nos últimos dias. A #Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira reuniu os mais diversos artistas brasileiros para tratar da temática LGBT. Financiada pelo banco #santander, a mostra 'Queermuseu' precisou ser cancelada [VIDEO] por ter sido considerada profana demais.

Com obras de Cândido Portinari e Alfredo Volpi, a exposição foi atacada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e também por movimentos culturais. As principais críticas é que a mostra exibia pornografia, zoofilia e até pedofilia [VIDEO]. Mesmo com temáticas fortes, crianças estariam assistindo ao conteúdo.

Publicidade
Publicidade

'Queermuseu' é cancelada pelo Santander após polêmica com MBL

A mostra era realizada em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e saiu de cartaz um mês antes do que deveria devido às críticas fortes que recebeu. As acusações de zoofilia e pedofilia foram fortes e houve até mesmo campanha para que os correntistas do banco Santander, que patrocinou a empreitada, cancelassem suas contas.

As críticas foram pesadas e começaram a denegrir a imagem do Santander, que não teve outra escolha. Além de tirar a 'Queermuseu' de cartaz, o banco pediu desculpas e concordou que algumas imagens eram fortes demais.

A polêmica da 'Criança Viada' na exposição do banco Santander

Uma das imagens que mais provocou ira em quem foi à exposição e também viu o conteúdo na internet foi a obra 'Criança Viada'. Um dos queixosos diz que a obra seria uma apologia à prostituição infantil.

Publicidade

O curador do evento, Gaudêncio Fidelis, no entanto, diz que a obra apenas desmascara o preconceito usando referências da cultura pop.

O blogueiro Felipe Diehl, segundo informações do site da revista Veja, foi um dos que criticou a exposição. Nela, imagens religiosas, como a de Jesus Cristo e Nossa Senhora, apareciam em situação polêmica. "Essa arte está escarnecendo a Cristo", disse o blogueiro.

Fim de exposição é comemorado pelos críticos no Rio Grande do Sul

Gilberto Schwartsmann, que preside a Bienal do Mercosul, disse que ficou triste com o fechamento. Ele diz que as pessoas podem ou não gostar de uma obra, mas que precisam respeitar a arte. Já os movimentos que pediam o cancelamento da exposição comemoraram a empreitada, argumentando que a união das pessoas fez isso.

Veja abaixo uma das fotos que foram feitas no museu. Ela exibe uma obra de arte considerada polêmica.

Veja, a seguir, a imagem de Jesus Cristo com vários braços. Além do MBL, grupos católicos também fizeram reclamações a respeito da exposição:

#exposição cancelada