Publicidade
Publicidade

No Paraná, uma bebê de apenas 4 meses precisou ser internada, após ser abusado sexualmente. A polícia ouviu hoje um dos suspeitos de ter cometido o crime bárbaro [VIDEO], mas o sujeito não foi preso. O fato aconteceu na cidade de Ponta Grossa e toda população está chocada com o ocorrido.

A menina com apenas 4 meses de vida, foi internada no Hospital da Criança João Vargas de Oliveira, na semana passada, após ser diagnosticada pelos médicos, com tricomoníase. Essa doença é sexualmente transmissível, o que chamou a atenção dos profissionais da saúde. Eles fizeram todos os exames, só que não havia nenhum sinal de violência física na região íntima da menina, entretanto, os médicos coletaram um pouco de sêmem na vagina da criança e logo acionaram a polícia.

Publicidade

Ana Paula Cunha de Carvalho é a delegada responsável pelo caso, ela é do Nucria - Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime. A delegada por enquanto está suspeitando de 3 pessoas, sendo que uma delas é o irmão do bebê, um garoto de 13 anos, o outro suspeito é o próprio pai da criança e o terceiro suspeito é pai de uma irmã da bebezinha.

A polícia já ouviu os dois adultos, mas nenhum deles ficou preso, inclusive, se dispuseram a ajudar nas investigações, fornecendo até material genético para que sejam feitas as comparações e assim fique comprovado que eles não abusaram da criança. Hoje, a delegada estará ouvindo o irmão da vítima, porém, pode ser que nenhum dos três seja culpado, por isso as investigações vão continuar e serão estendidas a mais pessoas da família ou próximas a eles.

Publicidade

Quando o bebê foi levado ao hospital, a primeira suspeita era de uma infecção urinária, o que foi logo descartado com o resultado dos exames, pois os médicos descobriram uma bactéria que está presente em doenças sexualmente transmissíveis. A mãe do bebê foi até a delegacia para fazer a ocorrência e acabou sendo presa, mas não por este crime e sim porque havia contra ela um mandado de prisão, por ter assaltado uma pessoa, usando uma arma.

A avó disse que a mãe do bebê faz uso de drogas e que em sua cada é grande o número de pessoas, entrando e saindo o tempo todo. Pode ser que uma destas pessoas tenha abusado da criança, o que dificultará para a polícia descobrir quem foi.

O bebê precisou passar por um tratamento e agora encontra-se bem de saúde, só que ainda está internado, pois o hospital está esperando a liberação da Vara da Infância e Juventude, para dar alta à criança e entregá-la à avó, que a partir de agora fica responsável por ela. #Violência sexual #crime bárbaro #Casos de polícia