Uma bebê de apenas quatro meses foi estuprada [VIDEO] em Ponta Grossa, Paraná. As suspeitas são o pai, o irmão de 13 anos de idade e, ainda, um homem que costumava frequentar a casa da família. A bebê está internada no Hospital Da Criança João Vargas de Oliveira, no mesmo município.

O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) informou que foram feitos alguns exames e constatado que a menina sofreu abuso sexual, adquirindo tricomoníase, uma infecção transmitida por relação sexual. Além disso, foi encontrado sêmen na região íntima da bebê.

A Nucria declarou que, até o momento, as três pessoas são acusadas do estupro.

Publicidade
Publicidade

Dentre elas, está o próprio pai, que, até então, negou a acusação e informou à delegada, Ana Paula Cunha Carvalho, que irá colaborar com todas as investigações, inclusive no recolhimento de materiais necessários para testes. Os outros suspeitos serão ouvidos nesta quinta-feira (5).

Ainda segundo informações da delegada, a mãe da criança permitia a entrada de pessoas em sua casa para o uso de entorpecentes. Tudo está sendo investigado pela polícia e, durante o andamento, outros nomes podem surgir. Em breve, mais informações serão fornecidas acerca do caso e deverá ser revelado o verdadeiro autor do crime contra a bebê.

A menina foi internada quando sua mãe foi à delegacia por outro motivo e mostrou uma foto da bebê para um policial. Foi quando ele percebeu que algo estava errado e chegou a notar uma secreção no órgão genital da criança.

Publicidade

Em seguida, a bebê foi levada para o hospital para a realização de exames.

A mãe da menina tem 29 anos e, na delegacia, contatou-se a existência de um mandado de prisão em aberto por roubo contra a moça, sendo presa. Além disso, ela é usuária de droga. Provavelmente, a criança deverá ficar com a avó, mas a justiça deverá decidir quem passará a ter sua guarda.

O episódio, como tantos que surgem na mídia, chocou toda a população. Não são raros casos de estupros serem noticiados e tais crimes ainda carecem de penas severas.

Nota do hospital

Na terça-feira (3), o hospital em que a menina está internada emitiu uma nota dizendo que, no dia 28 de setembro, uma criança deu entrada no Hospital da Criança João Vargas de Oliveira com suspeita de infecção urinária. No entanto, logo depois, foi constatado, por meio de exames, o estupro.

Em nota, o hospital ainda informou que está aguardando apenas a autorização da Vara da Infância e Juventude para liberá-la. #Estupro coletivo #Bebês