Publicidade
Publicidade

Um menino de 12 anos de idade foi encontrado pelos agentes penitenciários, ao término da visita, na cela de um preso acusado de estupro de vulnerável. O caso aconteceu na noite de sábado, dia 30, na Colônia Penal Agrícola Major Cesar de Oliveira, que fica localizada na cidade de Altos, que pertence à região metropolitana de Teresina-PI.

Os agentes penitenciários, ao perceberem que no fim da visita uma pessoa não havia saído, resolveram fazer buscas em todas as celas, quando descobriram o menino sem camisa, escondido embaixo da cama de José Ribamar Pereira Lima, que é acusado de praticar #Pedofilia e estupro de vulnerável contra um menor de 14 anos e está preso desde 2015, no alojamento 1.

Publicidade

Segundo informações da #Polícia que abriu inquérito para investigar o caso, os pais admitiram que eles levaram a criança ao presídio, que por serem amigos do preso, consentiram que a mesma passasse a noite na cela, pois voltariam para nova visita no domingo.

No domingo, os pais do menino receberam ordem de prisão e foram levados para prestar depoimento na Central de Flagrantes de Teresina. Após a oitiva, os mesmos foram liberados e ficaram com a criança. Porém existe uma grande suspeita, de que o garoto foi levado até o presídio para ser #violentado.

Em nota, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí, José Roberto Pereira, informou que o menino não tem parentesco com o preso e que por ser menor de 18 anos seria necessário que tivesse uma autorização judicial para poder ter acesso às celas, porém a criança conseguiu entrar no presídio acompanhada dos pais.

Publicidade

José informou ainda que no presídio Major Cesar de Oliveira não existe nenhum registro de entrada de crianças, o que torna a situação muito grave, pois crimes estão sendo cometidos contra vulneráveis.

O Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe que crianças e adolescentes frequentem os pavilhões das celas, e que quando ocorrer visita de crianças, essas necessitam de autorização judicial, e ser realizadas em brinquedotecas instaladas dentro dos presídios. O presídio Major Cesar não possui brinquedoteca e quando as crianças entram para visitar os presos, essa visita ocorre na Capela.

A Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania não soube informar como o menino foi parar dentro das celas, mas que está investigando o caso e informou que o preso foi isolado em uma cela do setor de triagem.

Segundo os agentes penitenciários que encontraram o menino, este relatou que teve as partes íntimas tocadas pelo preso, mas que não houve conjunção carnal, pois os agentes chegaram antes que ocorresse algo pior com o garoto. O menino foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), que constatou que ele não foi violentado.