Uma mulher, que não teve a sua identidade revelada, foi rendida por um homem que se passou por policial federal, na noite de sexta-feira (6), nos Jardins, bairro nobre da cidade de São Paulo. Segundo informações da #Polícia Civil, que abriu inquérito para investigar o caso, já estão sendo realizadas diligências no intuito de encontrar o suspeito.

A polícia informou ainda que o falso policial federal fez a mulher percorrer mais de três horas pelas ruas da cidade de São Paulo, bem como a obrigou a sacar em torno de R$ 3 mil em um caixa eletrônico. Neste meio tempo, a estuprou.

A mulher foi rendida enquanto saía de um supermercado que fica na Rua Augusta.

Publicidade
Publicidade

Ela foi abordada pelo homem ainda no meio da rua, que apresentou um falso distintivo da polícia. A mulher acreditou se tratar mesmo de um policial federal e imediatamente parou seu veículo e abriu o vidro. O homem utilizando do distintivo conseguiu convencer a mulher a abrir a porta o carro e descer, sendo neste momento rendida por ele.

Marcos Antônio de Paula Santos, delegado seccional da região central de São Paulo e responsável pelo caso, afirmou que as investigações sobre o crime estão em ritmo avançado e que não poderia informar maiores detalhes sobre o caso [VIDEO], pois isso poderia atrapalhar nas investigações, bem como a possível captura do acusado. O delegado também não deu maiores informações sobre a vítima, porque ela se encontra muito abalada com todo o ocorrido.

Ainda segundo informações da polícia, as imagens das câmeras de segurança do estacionamento do supermercado estão sendo utilizadas nas investigações.

Publicidade

Elas mostram com clareza o momento em que o falso policial federal abordou a vítima. De acordo com o registro da imagens, isso ocorreu às 19h30.

Confira as imagens:

O caso do #sequestro relâmpago e estupro se espalhou rapidamente pelo WhatsApp nesta terça-feira (10) e outras mulheres começaram a relatar que também foram abordadas, da mesma maneira, também na região dos Jardins. Entretanto, todas as mulheres afirmaram que a abordagem do falso policial não terão sido bem-sucedida, pois não teriam parado com o carro.

Todas afirmaram que foram abordadas por um homem, que primeiramente mostra o distintivo policial na abordagem. O delegado Marcos Santos afirmou que, embora outras mulheres tenham relatado situações parecidas com a da vítima, não há na delegacia registros de outros casos ocorridos na mesma região. #vitima