Publicidade
Publicidade

Maria Alexandria, de 58 anos, irmã de Damião Picolé, [VIDEO]quebrou o silêncio e revelou como era o comportamento do homem que chocou o Brasil. Damião é o vigia que colocou fogo em uma creche da cidade de #Janaúba, em Minas Gerais. Contando com ele, 11 pessoas morreram, 9 eram crianças. Maria conversou com o 'Cidade Alerta', da Record TV, e revelou segredos assustadores do profissional, que acabou virando notícia por um triste gesto. [VIDEO]

Os segredos do homem que matou crianças queimadas vivas em Minas Gerais

Dentre as revelações assustadoras feitas por Alexandria, está o comportamento do vigia. Ele teria mudado a forma de agir há cerca de 3 anos, quando o pai faleceu.

Publicidade

Mesmo sendo um parente querido, ele tinha certa distância da família e dizia que estava sendo perseguido, mas nunca dizia claramente quem é que fazia essa perseguição. Picolé já chegou na cheche com combustível, preparado para fazer o ataque que matou as crianças de Janaúba.

Muita dor e luto fazem parte da rotina da família de Damião

Maria, a irmã do incendiário, contou que está lidando com muita dor diante de tudo. Ela lembrou que o seu irmão também teria morrido por conta da sua loucura, mas que, ao mesmo tempo, fica terrivelmente triste por saber que crianças inocentes faleceram. Alexandria lembrou ainda da professora Harley, que, a fim de salvar a vida de diversas crianças, acabou colocando a dela mesma em risco.

Irmã de incendiário conta que está recebendo ameaças e revela profunda tristeza

A irmã de Picolé garante que apenas decidiu falar sobre o caso, pois estaria sofrendo muitas ameaças da população local.

Publicidade

Ela garante que não tem culpa pelo o que o vigia fez e que acha tudo realmente terrível. "Nós não temos nem palavras para pensar, mas está muito difícil", disse Alexandria, que revelou na sequência que o seu irmão apresentava problemas psiquiátricos desde 2014

O gesto que facilitou a entrada do homem incendiário em creche de Minas

Alexandria revelou que no dia da tragédia da cidade mineira a diretora da escola teria pedido um novo atestado médico a Damião, que justificasse o fato dele continuar afastado por problemas psiquiátricos. Nesse dia, ele ficou completamente irritado e contou que iria em casa buscar o documento. No entanto, mais tarde, o que ocorreu foi que ele colocou combustível no corpo e em uma espécie de isopor. Dizendo que daria picolés para crianças, ele entrou na sala de aula e ateou fogo por onde conseguiu. #Damião Picolé