Publicidade
Publicidade

Um crime bárbaro [VIDEO] que aconteceu no Sul de Minas Gerais ainda deixa marcas até hoje na família que perdeu Larissa Gonçalves de Souza. A estudante, que tinha 21 anos na época em que foi morta, ainda se faz presente nas recordações que a família [VIDEO] mantém até hoje. O quarto de Larissa não foi mexido desde o dia em que ela saiu de casa e nunca mais voltou.

A morte da estudante universitária de Extrema (MG) ganhou repercussão nacional, após a jovem ser morta com requintes de crueldade por um homem que supostamente tinha um relacionamento amoroso com o namorado da jovem. Esse teria sido o motivo da morte da jovem estudante, que deixou viva a lembrança em seus familiares, que sofrem ainda com a sua perda.

Publicidade

A dor ainda toma conta da família que perdeu a jovem brutalmente assassinada

O quarto de Larissa continua com as mesmas coisas que ela deixou no dia em que se despediu de seus pais para nunca mais voltar para a casa. A jovem pegou o seu carro e dirigiu até a rodoviária de Extrema, local em que ela pegaria um ônibus em direção a Bragança Paulista, em São Paulo, cidade em que Larissa estudava.

Naquele dia, a jovem apresentaria um trabalho na faculdade e estava muito feliz, conforme relatou a mãe sobre a tragédia que aconteceu com a sua filha no dia 23 de outubro de 2015. Nada no quarto da jovem foi retirado do local, e até as roupas ficaram do jeito que Larissa deixou antes de ser assassinada.

Entenda como aconteceu o crime de Larissa em Extrema

Larissa ficou desaparecida durante 11 dias.

Publicidade

O corpo da jovem foi encontrado na Serra do Lopo, um local turístico e afastado da região central da cidade. A vítima foi abordada por um casal, momentos depois de chegar a rodoviária. Uma testemunha relatou que ela foi obrigada a entrar na porta de trás do veículo, e depois disso Larissa foi brutalmente assassinada.

A jovem teve fraturas no maxilar que foram causadas por um peso de academia utilizado para matá-la. Além disso, Larissa foi mantida amarrada e teve uma fita adesiva presa ao seu rosto, impedindo que a jovem pudesse se defender ou se libertar.

O casal que sequestrou Larissa acabou sendo acusado pela morte da estudante, que teve tudo planejado por um comerciante da cidade em que ela morava, José Roberto Freire. Segundo informações apontadas na investigação, Freire teria um relacionamento amoroso escondido com o namorado de Larissa, o modelo Lucas Gamero.

O comerciante pagou R$ 1 mil para que o crime fosse executado pelo garoto de programa Valdeir Bispo dos Santos e pela enfermeira Rosiane Rosa da Silva, que levaram Larissa até o comerciante após sequestrarem a jovem na rodoviária de Extrema. #Feminicídio #Caso de polícia #crime bárbaro