Publicidade
Publicidade

O que muitas pessoas ainda estão se perguntando é quem era Damião Soares dos Santos, o #Vigia que ateou fogo contra várias crianças inocentes em uma #Creche em #Janaúba, no norte de Minas Gerais. O cidadão pacato da cidade que cometeu o crime contra as crianças e contra si mesmo, morrendo poucas horas depois do incêndio, era conhecido como alguém que conversava com todo mundo e que vendia picolés que ele mesmo fabricava em sua casa. Nos últimos dias antes do crime, o vigia até chegou a deixar um recado enigmático para a sua família, dizendo que um ‘presente’ estaria sendo preparado por ele.

O velório de Damião, de 50 anos, foi marcado pelo silêncio e pela revolta de sua família, [VIDEO] que não compareceu na celebração da morte do incendiário.

Publicidade

Para carregar o caixão, foram necessários dois funcionários da prefeitura, já que ninguém compareceu ao velório do vigia, que matou nove crianças e uma professora, após atear fogo contra si na creche em que trabalhava, chamada ‘Gente Inocente’.

Vigia premeditou o crime que resultou na morte de nove crianças e uma professora

Damião escolheu um dia especial para cometer o crime contra as crianças na última quinta-feira (5) [VIDEO]. No mesmo dia, completava três anos do falecimento de seu pai. O vigia era de uma família simples de Janaúba-MG e tinha sete irmãs e quatro irmãos. Desde a morte de seu pai, Damião se isolou e decidiu morar sozinho, se afastando um pouco de seus familiares, que até então viviam junto com o vigia incendiário.

Crime ainda continua um mistério para as autoridades

Os motivos que levaram Damião a colocar fogo contra si e as crianças ainda permanecem um mistério.

Publicidade

Não foram encontradas evidências ou qualquer tipo de recado que deixasse claro as intenções do homem, que morreu horas depois da tragédia, não resistindo aos ferimentos causados pelo fogo que consumiu 100% de seu corpo.

Irmã teve que ir à funerária para liberar corpo de vigia que morreu queimado em Janaúba-MG

O incendiário corria no corredor da creche e tentava abraçar todas as crianças que ele via no caminho, fazendo com que o corpo delas se incendiasse rapidamente. A dor e a tristeza tomam conta da pequena cidade com 78 mil habitantes. Maria foi a única familiar de Damião a comparecer a funerária para cuidar do enterro do irmão. A mulher disse que a família está triste e abalada com tudo que aconteceu, dizendo que desde que o seu pai faleceu, Damião vinha apresentado comportamentos diferentes, após se isolar da família.