Publicidade
Publicidade

Os moradores da cidade de #Janaúba, no Norte de Minas Gerais, ainda estão em choque com a terrível tragédia [VIDEO]que aconteceu na manhã dessa quinta-feira (5). Por motivos até então desconhecidos, o vigia Damião Soares dos Santos chegou à creche que trabalha e ateou fogo em várias pessoas que ali estavam. As principais vítimas de Damião foram as crianças. No total, sete pessoas morreram, seis crianças e uma professora.

Além das vítimas fatais, várias outras seguem internadas no hospital [VIDEO]da cidade, algumas em estado grave. O governo de Minas disponibilizou um helicóptero para que as vítimas em estados mais graves fossem levadas para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.

Publicidade

O hospital é considerado referência no tratamento de queimaduras.

O corpo de bombeiros já divulgou quem foram as vítimas fatais do incêndio. Quatro crianças morreram no local, duas morreram ao serem transferidas de hospital e a professora Helley Abreu Batista também morreu.

Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos, foi uma das vítimas de Damião. Ela tinha mais quatro irmãos. Três deles estavam na creche junto com ela e não sofreram queimaduras. Victor Hugo, irmão gêmeo de Ana Clara, explicou aos repórteres como era a relação com a irmã. “A gente gostava de brincar de esconder e de cobra cega. Na televisão, a gente gostava de assistir Peppa Pig”, disse.

Luiz Davi Carlos Rodrigues, de 4 anos, também morreu no incêndio. Sua prima disse que fica imaginando o sofrimento que ele passou antes de morrer.

Publicidade

Ela disse que tomava conta de Davi desde quando ele tinha 2 anos de idade para sua mãe trabalhar. “Fico imaginando a cena dele na hora gritando mamãe, pedindo ajuda e ninguém podendo ajudar. É triste”, desabafou Laira.

Juan Pablo, 4 anos. Uma tia dele, Edna Pereira, disse que ele era um menino muito alegre. Ela contou que ouviu pelo rádio sobre o incêndio e correu até lá. O irmão de Juan Pablo também sofreu queimaduras e está em estado grave.

Juan Miguel Soares Silva, de 4 anos. Emocionada, a mãe disse que o filho tinha muita alegria de viver. Ela contou que ele gostava de brincar de jogar futebol e que dormia abraçadinho com ela. "Eu estava pensando em mudar ele de escola porque a gente ia mudar de bairro. Eu acordei o Juan hoje cedo para deixá-lo na creche e depois já vi ele morto no hospital”, relatou a mãe.

Helley Abreu Batista, 43 anos. Ela era professora das crianças e também morreu no hospital. Ela teve 90% do corpo queimado. Horas antes de morrer, seu marido pediu para que os brasileiros rezassem por ela.

Cecília Davina Gonçalves e Renan Nicolas dos Santos tinham 4 anos e também morreram. #incêndio na creche