Publicidade
Publicidade

Parece que está longe do fim o caso envolvendo a morte de Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, que foi brutalmente assassinada após oferecer #carona através de um aplicativo de conversação. Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, foi preso no mesmo dia em que o corpo de Kelly foi encontrado próximo a Frutal, no interior de Minas Gerais, no último dois de novembro, Dia dos Finados. A jovem se preparava para encontrar o namorado a poucos quilômetros do local em que foi morta, após viajar de São José do Rio Preto com destino a Itapagipe, que fica no interior de MG. A jovem radiologista havia marcado para dar carona para um casal, mas se surpreendeu ao ver somente Jonathan esperando por ela no local marcado com ele e outra mulher.

Publicidade

Kelly não sabia, mas isso fazia parte do plano do criminoso que usou uma mulher para atrair a vítima, que poderia se intimidar ao aceitar dar carona para um homem sozinha em seu carro.

Kelly chegou a falar com os familiares momentos antes de ser morta brutalmente por Jonathan

A jovem chegou a fazer contato durante a noite da quarta-feira, horas antes de ser morta por Jonathan. O caso foi resolvido rapidamente graças às imagens de um sistema de pedágio que captaram Jonathan dirigindo sozinho o carro de Kelly retornando para São José do Rio Preto - SP. A ideia do criminoso era que ele poderia vender o automóvel depois de assassinar Kelly em Frutal e abandonar o seu corpo no Rio Marimbondo.

Jonathan queria vender o carro de Kelly, mas mudou de plano

Quando o homem chegou com o carro em São José do Rio Preto, o criminoso percebeu que o veículo estava entre os carros procurados pelas autoridades e decidiu levá-lo até uma área rural para abandonar o carro.

Publicidade

Jonathan resolveu roubar apenas as rodas e som do veículo, além da bolsa e o celular da vítima que foram encontrados com os outros dois envolvidos [VIDEO]que estão presos aguardando o julgamento.

Quarta pessoa envolvida no crime está foragida, conforme revelaram as autoridades de Frutal - MG

As autoridades descobriram, recentemente, o que ninguém imaginava, que havia um envolvido que pretendia ficar com carro da vítima. Essa quarta pessoa envolvida no crime estava preparada para receber o veículo roubado. Essa descoberta foi feita após a quebra do sigilo telefônico de Kelly [VIDEO], pois o celular foi utilizado por Jonathan para telefonar diversas vezes para o homem que iria comprar o carro da mulher assassinada. O suspeito foi considerado foragido e os policiais estão à procura dele para maiores esclarecimentos sobre o crime e sua participação na receptação de mercadoria roubada, crime que poderá levá-lo à prisão. #Policia Militar