Publicidade
Publicidade

A audiência de custódia de #misael pereira foi marcada por uma revolta popular do lado de fora do Fórum da Comarca da Alexânia (GO) e por muita comoção da família da vítima. A audiência aconteceu nesta terça-feira, 7, por volta das 14h10 e marcou também pelo fato do assassino confesso de Raphaella Noviski, de apenas 16 anos, chegar à audiência com um olho roxo.

O assassino chegou com bermudas, chinelos de borracha, camiseta e um colete à prova de balas da Polícia Civil. Ele se manteve de cabeça baixa todo o tempo e só ergueu a cabeça ao entrar na sala. Ele chegou, segundo relato do escrivão, obtido pelo jornal Metrópole, a responder perguntas do juiz do caso de cabeça baixa, parecendo querer esconder a marca roxa no olho.

Publicidade

O juiz o questionou sobre a marca no rosto e o rapaz deu uma resposta esdrúxula. Ele nem mesmo levantou a cabeça para responder ao juiz Leonardo Lopes dos Santos Bordini e nem mesmo encarar a mãe da vítima.

É importante lembrar, que conforme a imagem de abertura da matéria [VIDEO], Misael foi preso sem marcas no rosto.

'Escorreguei no banheiro', revelou o assassino de Alexânia ao juiz, em audiência de custódia

O juiz queria saber o que aconteceu com o assassino confesso e o questionou sobre o que teria acontecido com seu olho esquerdo [VIDEO]. O rapaz deu uma desculpa clichê, dizendo que havia 'escorregado no banheiro', sem dar maiores detalhes do acidente.

Misael nem encarou a mãe de Raphaella, Rosângela Cristina Afonso Silva, que sentou em sua frente e buscou mirá-lo diretamente, mas ele refugou os olhares.

Publicidade

A frieza do homem revoltou a mãe e populares que o esperavam do lado de fora do fórum.

O homem negou a seu advogado e a familiares que tenha sido agredido.

Castigo veio rápido: juiz não autorizou sua liberdade e ele teve prisão preventiva decretada

Seria mesmo um absurdo se Misael saísse pela porta da frente do fórum sem algemas [VIDEO]. Mas o juiz não permitiu que acontecesse. O magistrado determinou que o homem fosse encarcerado de forma preventiva por 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias, até que o inquérito seja concluído. O procedimento é comum e o próximo passo é pedir a prisão provisória até o julgamento.

Misael ficará preso na Unidade Prisional de Alexânia, município onde ele cometeu o crime.

Ao sair da audiência, cerca de 90 populares gritavam por justiça e tentaram acessar o preso, mas por conta do cordão de isolamento, as ofensas ficaram apenas na verbalização.

Misael matou Raphaella com 11 tiros no rosto, à queima roupa e tentou fugir, mas foi preso a cerca de 300m do local do crime. #atirador Alexânia #crime Alexânia