Publicidade
Publicidade

O cenário das imagens de horror foram feitas por uma câmera de segurança de uma das salas de aula de uma creche municipal de Restinga, em São Paulo. A sala abriga crianças de apenas 3 e 4 anos e é comandada por uma professora e uma auxiliar que foram flagradas em maus-tratos com os pequenos.

As imagens foram coletadas pela Polícia Civil do estado, no último mês. A escola já era alvo de investigação, pois segundo denúncia de algumas mães, seus filhos estavam sendo maltratados no recinto público de ensino.

O delegado do caso, Eduardo Bonfim, diz que as imagens são fortes e não deixam dúvidas [VIDEO] sobre a conduta indevida e maus-tratos das profissionais.

Publicidade

A professora é Silma Lopes, que conta com uma estagiária para ajudar na 'educação' dos meninos pequenos. A estagiária, segundo a prefeitura de Restinga, era uma adolescente.

Professora é acusada de amarrar crianças dentro de sacos de lixo para puni-los

A mãe de um menino de quatro anos fez a denúncia ao Conselho Tutelar em setembro e desde então a polícia investiga o fato. A mãe percebeu que a criança não queria mais frequentar a creche e estranhou a conduta da criança. A mãe o questionou e o menino disse que tinha medo da professora.

Outras duas mães procuraram o Conselho Tutelar e também denunciaram a 'profissional'.

Em uma das imagens é possível ver a estagiária com uma raquete e um saco plástico na mãe, na suposta tentativa de intimidar a criança e puni-la.

Com medo, a criança, vítima da primeira denúncia, deixou de frequentar a escola.

Publicidade

Crianças colocadas em saco

Em um vídeo de 14 de setembro, a estagiária e a professora surgem em cenas fortes, obrigando um menino a virar um 'lixo' e entrar no saco preto. Não satisfeita, a mulher ainda tenta puxar o saco para fechá-lo e amarrar o menino dentro do invólucro.

Em outra cena, uma outra pequena parece se debater no chão dentro de um saco. Em outra, a estagiária parece ameaçar uma criança com uma raquete.

O delegado ainda concluiu que, de acordo com a reação das outras crianças, o castigo parecia acontecer com frequência.

Prefeitura de Restinga afastou professora

A prefeitura local revelou que a professora foi afastada de suas funções e que a estagiária foi demitida. O procurador da Prefeitura de Restinga, Alex Gomes Balduíno, disse que já instaurou um processo administrativo, como de praxe, e que o mesmo está em fase final para ser concluído.

Haverá também investigação sobre a conduta da estagiária e que a Secretaria de Educação do Município vai colaborar [VIDEO] com a polícia no caso.

Comentem. #maus tratos #Violência infantil #violência na escola