Publicidade
Publicidade

A Polícia Civil (PC) de Minas Gerais divulgou na última segunda-feira (13/11) que existe mais um suspeito, um 4° homem que foi identificado agora, mas ainda não tinha sido preso. Este anúncio foi feito logo após a família se revoltar e questionar o final das investigações que aconteceram na última sexta-feira, 10/11. Segundo relatos do advogado da família, alguns pontos sobre a morte de #Kelly Cadamuro não foram totalmente esclarecidos e precisavam ser melhor estudados, para que todos os culpados fossem indiciados e principalmente, que todos os crimes fossem esclarecidos. Uma lista de questões em aberto sobre o crime é apresentada abaixo, segundo informações de jornalistas do UOL [VIDEO].

Publicidade

Família questiona investigações

Depois de primeira suspeita gerada pela família, que celular de Kelly recebeu uma chamada não identificada e pediu a quebra de sigilo do telefone da filha, a polícia tratou de dizer que já tratou o assunto e acabou revelando um 4° suspeito, homem que seria o receptador do carro da mulher. O suspeito que é de São José do Rio Preto, em São Paulo, ficaria com o carro de Kelly Cadamuro após o crime.

Mas esta não foi a única questão levantada pela família, que disse querer contratar um perito particular para ajudar nas investigações. Outra questão muito latente que foi levantada pela família foi a passagem do carro pelos postos de pedágio. A família quer que um perito identifique se havia mais gente no carro, tanto na ida quanto na volta do veículo e tentar verificar se o suspeito realmente falou a verdade. [VIDEO]

Familiares de Kelly suspeitam de estupro e querem provas

Outro ponto totalmente não esclarecido é sobre o estupro.

Publicidade

Apesar do suspeito ter sido indiciado pelo estupro da vítima, mesmo com o exame médico preliminar sendo negativo, o fato da vítima ter sido encontrada sem calcinha e calça jeans foi suficiente para o indiciamento por este crime. Entretanto isso não basta para a família. Eles querem saber se realmente houve a conjunção carnal, o que só será possível em cerca de 70 dias.

Por outro lado, os policiais disseram que o anúncio de encerramento foi uma estratégia para não levantarem suspeitas entre os outros possíveis #suspeitos.

Questões em aberto que precisam ser respondidas

1) O suspeito usou o telefone de Kelly para falar com outros possíveis suspeitos?

Isso poderia identificar novos suspeitos. A quebra do sigilo poderia esclarecer, mas a polícia não comenta sobre o fato.

2) De quem é o capacete na cena do crime?

Este fato precisa ser esclarecido, pois indicaria um novo ou outros novos suspeito.

3) Houve conjunção carnal?

O laudo fica pronto em 70 dias e sendo positivo pode descaracterizar o crime principal de roubo. A motivação poderia ser o estupro e o roubo uma consequência.

4) O que dizem os caixas dos postos de pedágio?

Não se sabe se foram ouvidos e se identificaram possíveis riscos ou situações estranhas ao avistarem os criminosos no carro da vítima [VIDEO]. #carona no WhatsApp