Publicidade
Publicidade

Uma semana após a radiologista Kelly Cristina Cadamuro foi morta por Jonathan Pereira do Prado, a polícia resolveu fazer a reconstituição do crime. O acusado contou detalhes de tudo que aconteceu momentos antes de a jovem ser morta por ele. O crime bárbaro aconteceu na noite do dia 1º passado, após Kelly oferecer carona em um aplicativo de conversa [VIDEO] em que o criminoso estava.

Jonathan foi preso poucas horas depois em que o crime [VIDEO] aconteceu e virou notícia em todo o país. Kelly entrou para as estatísticas e é mais uma mulher que se torna vítima na mão de homens impiedosos que cometem feminicídio no Brasil. O acusado contou como tirou a vida da jovem e como o corpo de Kelly foi jogado no pequeno córrego em que foi encontrado.

Publicidade

Criminoso fez alguns pedidos para fazer a reconstituição do crime para a polícia

Jonathan aceitou fazer a reconstituição do crime, que foi realizada nessa quarta-feira (8), mas pediu algumas restrições quanto a sua imagem ser utilizada pela imprensa e sobre a sua segurança. Para participar, o criminoso pediu um capuz que cobrisse o rosto por completo no momento em que ele retornou ao local do crime com os policiais.

Temendo por sua vida, Jonathan também solicitou um colete à prova de balas, o que poderia prevenir algum ataque contra o homem que matou Kelly momentos depois de entrar no carro da vítima em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

Várias pessoas acompanharam a reconstituição do crime em que Kelly foi morta

Estavam presentes durante a reconstituição do crime os agentes da Polícia Civil e também responsáveis pela perícia do assassinato, que colheram maiores informações que deverão ser utilizadas no inquérito.

Publicidade

Além deles, representantes do Ministério Público do Estado e do complexo prisional em que Jonathan permanece preso também estiveram acompanhando do acusado, que também contou com a presença de toda a imprensa, que acompanhou todo o trajeto junto às autoridades.

Kelly morreu estrangulada por Jonathan próximo do local em que seu corpo estava

O criminoso continua alegando que não houve estupro, embora as autoridades não tenham descartado essa hipótese. Durante a reconstituição, Jonathan contou como matou Kelly durante o caminho do local em que seu corpo foi deixado.

O criminoso matou a radiologista através de estrangulamento e depois jogou o corpo da jovem em um córrego próximo à estrada, fugindo com o veículo da vítima, que foi encontrado horas depois do crime pelos policiais. #Caso de polícia #Crimes #crime bárbaro