Publicidade
Publicidade

Com a popularização de aplicativos e da internet, milhões de pessoas passam horas na frente do celular se relacionando virtualmente com várias pessoas e algumas delas nunca foram vistas pessoalmente. Isso é bem comum nos dias atuais em que a maioria das relações sociais acontece no campo virtual, em que milhares de pessoas mantêm seus perfis nas redes sociais interagindo com outros usuários a todo instante. Dentro do mundo da internet se desenvolveram gigantes empresas operadoras das maiores plataformas utilizadas por usuários em todo o mundo, e serviços que antes não existiam passaram a ser oferecidos graças a internet, como o Uber, por exemplo.

Publicidade

Esse novo panorama modificou completamente a sociedade em que vivemos, e da mesma forma que esses aplicativos trouxeram facilidades, o avanço da internet fez com que crimes que não poderiam ser cometidos antes da era digital se tornassem reais, como aconteceu com Kelly Cadamuro.

Caso de Kelly parece que ainda não chegou ao fim e familiares fizeram pediram à Justiça

O caso de Kelly Cristina Cadamuro parece que pode ter uma reviravolta após um pedido de seus familiares. A morte da jovem radiologista deixou muitas mulheres preocupadas com o perigo que correm ao oferecerem caronas em seus carros para pessoas estranhas. Kelly não sabia, mas um assassino entrou em contato com ela para conseguir uma #carona através de um aplicativo de conversação. A jovem procurava levar algumas pessoas em sua viagem para que ela ficasse menos onerosa, tendo em vista que os passageiros pagam um valor, combinado anteriormente, por esse tipo de favor que acaba se tornando um serviço alternativo de transporte.

Publicidade

Jovem deu carona para criminoso em São José do Rio Preto - SP

Horas depois que os dois saíram de São José do Rio Preto - SP, rumo ao ao interior de Minas Gerais, Jonathan Pereira do Prado assassinou brutalmente Kelly Cristina e largou o corpo da jovem em um rio chamado Marimbondo. O crime aconteceu no dia primeiro de novembro e no dia seguinte Jonathan já estava detido, após imagens de um pedágio comprovarem que ele passou pelo local dirigindo o carro de Kelly [VIDEO]sozinho.

Outras três pessoas envolvidas no caso foram presas e familiares acreditam que existem mais criminosos

O criminoso foi preso assim como outras três pessoas envolvidas na receptação da mercadoria roubada de Kelly. Com dois deles foram encontradas as rodas e o celular da vítima e o terceiro foi preso porque iria receber o carro para desmanche. A família de Kelly não está conformada com as investigações e solicitou a quebra de sigilo telefônico do celular da jovem, em busca de maiores informações. Eles querem saber mais sobre a suposta mulher que pegaria carona junto com Jonathan e que não apareceu na hora do embarque. [VIDEO]Além disso, os familiares dela alegam que uma ligação foi recebida no celular da jovem e eles não sabem de quem se trata. #caronazap